Base de conhecimento - Português

PROGRAMA ADAPT!

Destinado às pessoas que foram afetadas profissionalmente pelo COVID-19.

CONFIRA TODOS OS DETALHES
PROGRAMA ADAPT!

Destinado às pessoas que foram afetadas profissionalmente pelo COVID-19.

CONFIRA TODOS OS DETALHES
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer.
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Baixar como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer: Para fazer a melhor combinação de dados, é fundamental ter a flexibilidade de se conectar ao maior número de fontes de dados possível. Nenhum quebra-cabeça revela uma imagem completa sem que todas as peças estejam no lugar. O mesmo princípio se aplica à análise de dados. Embora tenhamos orgulho de contar com uma enorme lista de formatos de arquivo e plataformas compatíveis, o mundo dos dados está sempre em expansão e, infelizmente, não é possível abranger tudo. Entra em cena a ferramenta Baixar. Além do acesso via FTP, essa ferramenta pode capturar dados da web ou transferi-los via API (verifique sua fonte de dados, quase sempre existe uma API!), dando a você acesso até mesmo aos depósitos mais isolados. Com os exemplos compilados abaixo e a infinidade de dados acessíveis na web, você pode transformar qualquer quebra-cabeça analítico na própria Mona Lisa:   Upload via FTP Download via FTP Automação de FTP Como se conectar a APIs REST – sem a necessidade de código! (Parte 2: Autenticação) Web scraping   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Baixar! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Agrupar Campos como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta Agrupar Campos adiciona cada linha de uma entrada de origem (âncora S) a cada linha de uma entrada alvo (âncora T) como novas colunas. Isso é conhecido como junção cartesiana ou cruzada. Se a entrada alvo tem A linhas com B colunas, e a entrada de origem tem C linhas com D colunas, a saída gerada pela ferramenta Agrupar Campos terá A vezes C linhas e B mais D colunas.    Realizar uma junção cartesiana (fluxo de trabalho em anexo, Agrupar Campos.yxwz) Às vezes, você precisa combinar cada linha de uma tabela com cada linha de outra tabela. Se você tiver, por exemplo, uma lista de possíveis clientes e seu inventário de produtos, você pode usar a ferramenta Agrupar Campos para combinar esses dados:     Eu comecei com 26 produtos e 26 clientes, o que resultou em 26 x 26 = 676 combinações possíveis de clientes e produtos. Como a tabela de produtos foi conectada à âncora T (entrada alvo), a saída é ordenada de acordo com essa tabela. Se tivéssemos colocado os clientes como a entrada alvo, a única diferença seria a ordem das colunas ("Cliente" seria a primeira coluna) e das linhas (o registro "Cliente1" ocuparia as primeiras 26 linhas e cada produto seria listado em sequência). Como havia mais de 16 registros na minha âncora S (entrada de origem), eu tive de alterar a configuração da ferramenta Agrupar Campos para permitir isso:     Essa opção é importante porque as junções cartesianas são problemáticas quando você, acidentalmente, tenta agregar uma quantidade muito grande de registros.       Agregar um único registro a todo o conjunto de dados   (fluxo de trabalho em anexo, Agrupar Campos.yxwz) Às vezes, você pode precisar adicionar uma mesma informação a todos os registros. Esse é o cenário perfeito para usar a ferramenta Agrupar Campos. Vamos supor que você tenha um conjunto de dados com nomes de cores (com possíveis repetições). Em uma tabela-mestre, você tem cada cor listada juntamente com um valor. Seu objetivo é permitir que o usuário escolha uma cor e, a partir disso, retornar todos os registros com valores menores ou iguais ao valor da cor selecionada. Para acompanhar de perto os detalhes deste exemplo, baixe o fluxo de trabalho em anexo e abra-o no Designer.   Etapa 1 - Primeiro encontramos em nossa tabela-mestre o valor da cor selecionada pelo usuário:     O usuário escolheu "Azul". Ao examinar a tabela-mestre, descobrimos que o valor vinculado a Azul é 10.   Etapa 2 – Nosso conjunto de dados original possui apenas cores, não possui a coluna com os valores. Para adicionar os valores ao nosso conjunto de cores, vamos usar a tabela-mestre e a ferramenta Encontrar e Substituir (você também poderia usar a ferramenta Junção, se não se importa de esperar um nanossegundo enquanto a ferramenta ordena os dados da saída J):     Agora, cada registro está associado a um valor no nosso conjunto de dados. Tudo correndo perfeitamente!   Etapa 3 – Ferramenta Agrupar Campos para agregar a cada linha o valor da cor selecionada pelo usuário, que será nosso valor máximo! Depois usamos a ferramenta Filtrar para selecionar apenas os registros com valor inferior ou igual ao valor máximo. O fluxo final fica assim:       Observe que nós configuramos a ferramenta Agrupar Campos para alterar o nome da coluna de valores conectada à âncora S, de "Valor" para "Valor Máximo". Também desmarcamos a coluna de cores da entrada S:     Perceba que a ferramenta Agrupar Campos tem todas as mesmas opções e funcionalidades da ferramenta Junção para alterar os dados (funcionalidade Selecionar incorporada).       Acrescentar a data e a hora atual a todos os registros   (fluxo de trabalho em anexo, Agrupar Campos.yxwz) Vamos supor que você deseja que cada registro em seu conjunto de dados tenha um carimbo de data/hora na saída. Porém, você quer que todos os registros tenham o mesmo carimbo de data/hora, de quando o fluxo de trabalho começou. Isso impede o uso da ferramenta Fórmula, que recalcularia a data/hora para cada registro, ou seja, geraria carimbos com alguns segundos de diferença. Uma forma simples de realizar isso é usando a ferramenta Agrupar Campos. Vamos usar a ferramenta Gerar Linhas para obter o carimbo de data/hora e, depois, agregá-lo a todos os nossos registros:     Eu alterei as conexões às âncoras S para torná-las sem fio. Assim, o fluxo de trabalho fica com uma aparência mais limpa:       E era isso! A ferramenta Agrupar Campos é basicamente uma ferramenta Junção que não apresenta as diferentes condições de junção e que tem apenas uma saída, a J. Veja a documentação de ajuda da ferramenta Selecionar para conferir mais opções relacionadas à funcionalidade Selecionar incorporada na ferramenta Agrupar Campos.   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Agrupar Campos! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o   Blog da Comunidade   compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para   flavia.brancato@alteryx.com   para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da   Base de Conhecimento   para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @patrick_digan na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Correspondência Parcial como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   Semelhante à "Pesquisa Difusa" do Excel, a ferramenta Correspondência Parcial torna fácil para você fazer correspondências inexatas em seus dados. Ao especificar limites de similaridade, utilizar algoritmos de correspondência variados e especificar outras opções de configuração, você pode personalizar essa ferramenta para melhor adaptá-la ao seu conjunto de dados. Devido ao alto nível de personalização dessa ferramenta, recomendamos assistir aos vídeos de treinamento ao vivo, de nível introdutório e intermediário, caso você queira usá-la em aplicações mais complexas. Também temos uma lista de perguntas frequentes e dicas e truques da Correspondência Parcial que vão te ajudar a aproveitar melhor a ferramenta!   Na vida, poucas coisas são completamente claras e exatas, preto no branco. Existem também áreas acinzentadas em todos os lugares, e os limites entre uma coisa e outra podem ser um pouco confusos. O mesmo acontece com os dados, especialmente quando são inseridos manualmente. É por isso que temos a ferramenta Correspondência Parcial. Mesmo que os seus dados não sejam tão claros, você ainda pode extrair valor de seus registros fazendo correspondências inexatas para torná-los um pouco mais padronizados. Isso pode ser útil ao:    Eliminar dados duplicados de um conjunto individual (fluxo de trabalho em anexo, Correspondência Parcial.yxzp)   Mesclar dois conjuntos de dados e identificar registros redundantes (fluxo de trabalho em anexo, Correspondência Parcial.yxzp) Observação: é altamente recomendável que se elimine as duplicatas de cada um dos conjuntos de dados antes de mesclá-los, de maneira a eliminar todas as correspondências redundantes. Isso acelera consideravelmente o processo de correspondência.     Realizar correspondência entre palavras-chave, comparações e limpeza em cadeias de caracteres   Essas técnicas ajudam você a identificar nomes, endereços e números de telefone semelhantes em seus dados e até palavras com erros de digitação, facilitando o uso de cadeias de caracteres inexatas em análises exatas!   Se você está trabalhando especificamente com nomes, confira o nosso guia de correspondência parcial de apelidos. Se você está tendo que diminuir o limite de correspondência a ponto de algumas cadeias serem correspondidas incorretamente, mas ainda assim outras cadeias não encontram correspondência, tente aplicar uma “cascata” a esse processo: use outra ferramenta Correspondência Parcial apenas para as cadeias de caracteres que precisam de um limite de correspondência mais baixo e, depois, use a ferramenta União para combiná-las de volta ao primeiro conjunto.   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Correspondência Parcial! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Data e Hora como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   As informações de data/hora podem aparecer em formatos de cadeia de caracteres (ou seja, campos de texto) ou nos formatos Date, Time e DateTime.  A ferramenta Data e Hora padroniza e formata essas informações de maneira que elas possam ser utilizadas em expressões e funções nas ferramentas Fórmula ou Filtrar  (por exemplo, para calcular o número de dias decorridos desde uma data inicial). Ela também pode ser utilizada para fazer o processo inverso: transformar datas no formato DateTime em cadeias de caracteres para a criação de relatórios, por exemplo.   A funcionalidade da ferramenta Data e Hora é muito semelhante a algumas funções da ferramenta Fórmula, mas ainda mais fácil de usar!   Para transformar um tipo de dados de data/hora (formatos Date, Time e DateTime) em um campo de texto formatado, você só precisa especificar: 1. a coluna de data/hora a ser formatada; 2. o nome da nova coluna que o Designer deve criar; 3. o idioma da nova coluna e 4. como você deseja que a data apareça na saída.       A conversão de uma data contida em um campo de texto para um formato de data/hora apropriado (dados do tipo Date, Time ou DateTime) funciona de modo semelhante. Você especifica: 1. a coluna a ser formatada; 2. o nome da nova coluna que o Designer deve criar; 3. o idioma da coluna a ser formatada e 4. o formato  que a data aparece na coluna a ser formatada.       Uma data armazenada com o formato Date sempre aparece como yyyy-mm-dd quando visualizada em uma ferramenta Navegar.    A opção day, d' de 'Month' de 'yyyy permite que você inclua o dia da semana na saída (assim, a data 1992-08-28 acima seria transformada em sexta-feira, 28 de agosto de 1992). Se você estiver usando formatos em inglês, as opções que incluem o dia da semana são dy., Month dd, yyyy e day, dd Month, yyyy. Isso é especialmente útil quando você quer distinguir finais de semana e dias de semana, por exemplo, para extrair os dias úteis de seus dados (se você tem apenas as datas inicial e final e deseja extrair os dias úteis, consulte este artigo).    Se a ferramenta Data e Hora não supre as suas necessidades, dê uma olhada neste artigo e nesta postagem para explorar as funções de Data e Hora da ferramenta Fórmula.    A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Data e Hora! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o   Blog da Comunidade   compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para   flavia.brancato@alteryx.com   para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da   Base de Conhecimento   para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @HenrietteH na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta União como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta União, que pode ser identificada na categoria Junção pelo desenho de um DNA, aceita como entrada múltiplos fluxos de dados e os combina em um só fluxo unificado. Enquanto a ferramenta Junção combina conjuntos de dados horizontalmente (seja por um ID ou pela posição dos registros), a ferramenta União combina os conjuntos verticalmente. Não é muito diferente de duas cadeias de ácidos nucleicos sendo unidas para formar a dupla hélice de DNA...   Sim, sim... nós sabemos que os trocadilhos já são parte do nosso DNA! Mas além de bons trocadilhos, a ferramenta União oferece várias aplicações incríveis! Confira a seguir:   Empilhar registros Você tem vários conjuntos de dados com campos em comum? Empilhe-os em um único fluxo com a ferramenta União, seja manualmente ou com base no nome ou na posição dos campos:                                                       Não se preocupe, os seus conjuntos de dados não precisam ser idênticos. Os campos que não são comuns aparecem no final da tabela e são preenchidos com valores nulos quando não são encontrados em outro conjunto de dados.     Criar junções diferentes A ferramenta Junção do Alteryx tem três saídas: Esquerda (L), Junção (J) e Direita (R)   Elas funcionam desta maneira:   Se você está acostumado com a cláusula JOIN do SQL, essas são as junções esquerda, interna e direita, respectivamente. A ferramenta União permite combinar facilmente essas saídas de Junção (as áreas sombreadas nos círculos acima) para criar outras configurações de junção do SQL mais complexas, como abaixo:     Combinar elementos de relatório verticalmente Basta conectar seus elementos de relatório e especificar uma ordem de saída na ferramenta União para empilhá-los verticalmente (sem a necessidade de criar um único elemento de relatório a partir da combinação, como acontece com a ferramenta Layout Visual).     Criar desvios em aplicativos/macros com a ajuda de Contêineres de Ferramentas     Confira o fluxo de trabalho em anexo (União.yxmd) para ver de perto os exemplos mostrados acima (empilhar registros, criar junções e combinar elementos de relatório). Se quiser aprender em detalhes como configurar as ferramentas União e Junção, confira as lições interativas Combinar dados com a ferramenta União e Combinar dados com a ferramenta Junção.   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta União! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e talvez nos contando como e para o que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um Blog, envie um email para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou, talvez, qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD na Comunidade em inglês 
Ver artigo completo
  Programa  O Alteryx for Good oferece benefícios e vantagens incríveis aos recursos inovadores de ciência de dados para escolas, universidades e instituições sem fins lucrativos. Os alunos adquirem as habilidades necessárias para obter sucesso; os professores envolvem os alunos com conhecimento e desenvolvimentos tecnológicos de ponta; as instituições sem fins lucrativos usam análises para melhorar as operações - desde o envolvimento de voluntários até o sucesso dos resultados do programa. Para mais informações e para aplicar para sua licença, visite: www.alteryx.com/forgood.   Estudantes Independentemente da sua área de estudo, a análise de dados é o passaporte para a sua carreira e seu progresso acadêmico; por isso, criamos um programa para capacitar os alunos a terem sucesso na economia de dados, utilizando as ferramentas de ciência e análise de dados que já são usadas por milhares de empresas em vários setores. Todos os alunos atualmente matriculados em uma instituição ou curso de graduação ou pós-sgraduação são elegíveis para receber uma licença gratuita de um ano do Alteryx Designer. Envolva-se com uma comunidade de profissionais do setor que solucionam com o Alteryx e, o mais importante, tire sua certificação Alteryx Designer Core para mostrar sua experiência e causar impacto no mundo ao seu redor. Para mais informações e para registrar sua licença, visite nosso site. Educadores Você gostaria de usar uma das tecnologias mais avançadas em ciência e análise de dados em sua sala de aula ou curso? Centenas de instituições acadêmicas em todo o mundo já incorporaram o Alteryx em seus currículos. Os alunos recebem uma oportunidade incrível de aprendizado que abrange todo o ciclo de vida da análise - desde a preparação de dados até a modelagem, ciência de dados e implantação. Todos os educadores que pretendem usar o Alteryx na sala de aula são elegíveis para receber uma licença gratuita de um ano do Alteryx Designer, assim como acessar o nosso software de análise e ciência de dados líder do setor, além da nossa rede de voluntários do Alteryx for Good Co-Lab. Para trazer o Alteryx para a sua sala de aula, visite nosso site.   Instituições sem fins lucrativos Estamos vivendo uma nova era na análise de dados para instituições sem fins lucrativos. Aqueles que adotam a ciência e a análise de dados podem otimizar os programas de captação de recursos, alocar orçamentos da melhor maneira possível, comunicar os resultados aos principais doadores de maneira mais eficaz, além de aproveitar, envolver e reter melhor os voluntários. As instituições podem tomar decisões mais inteligentes com mais rapidez e fazer tudo, sem desperdiçar horas nas planilhas. O programa Alteryx for Good foi projetado especificamente para instituições sem fins lucrativos, para que elas possam colocar as ferramentas de análise mais poderosas - e fáceis de usar - nas mãos de suas equipes. As organizações que se encaixam abaixo do limite de receita anual de US$ 10 milhões são elegíveis para receber uma licença gratuita do Alteryx for Good Designer por um ano. Para mais informações e para registrar sua licença, visite nosso site.   Co-Lab O Alteryx for Good Co-Lab é uma rede voluntária de especialistas da Alteryx que fornece conhecimento analítico para instituições sem fins lucrativos e educadores. Estamos felizes por você aproveitar essa rede de voluntários incrível para ajudá-lo em seus projetos de dados. Clique aqui para saber mais (em inglês).   Colaboradores da Alteryx  Acreditamos que a ciência e a análise de dados mudam o mundo para melhor. Na Alteryx, nossos funcionários estão comprometidos em ajudar nossos clientes a usarem a Alteryx para obter benefícios revolucionários, bem como instituições educacionais e organizações sem fins lucrativos de todos os tamanhos. Leia as histórias de impacto do Alteryx for Good para saber mais (em inglês).   Torne-se um Embaixador do Alteryx For Good Estamos felizes em compartilhar nosso programa com o mundo! Se você conhece um estudante, educador, instituição acadêmica ou organização sem fins lucrativos que acredita que se beneficiaria com o Alteryx, compartilhe!   Para qualquer dúvida ou se precisar de algum tipo de ajuda com a sua licença do Alteryx For Good, entre em contato direto pelo email: alteryxforgood@alteryx.com.  
Ver artigo completo
  Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Dados de Entrada como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:     A ferramenta Dados de Entrada é o ponto onde tudo começa no Designer. Claro, você pode trazer dados da web ou de APIs com a ferramenta Baixar (aprenda mais aqui) ou usando a categoria Conectores, mas a ferramenta que mais facilita capturar dados dos formatos de arquivo e das bases mais utilizadas é a Dados de Entrada. Veja como é fácil:     Insira qualquer formato de arquivo compatível com um simples explorador de arquivos:           Pronto! Assim que o arquivo de entrada é selecionado, você pode pré-visualizar o conjunto de dados na janela de configuração da ferramenta. Para trazer os dados para o fluxo de trabalho, clique no botão Executar no canto superior direito.   Conecte-se a fontes ODBC ou OleDB Veja como salvar suas conexões de base de dados como aliases para uma inserção mais rápida!   Descompactar e inserir arquivos .zip: quando você se conecta a um arquivo .zip a partir de uma ferramenta Dados de Entrada, a janela Extrair arquivo é aberta. Nela você pode escolher o tipo de arquivo que deseja extrair e todos os arquivos que você quer trazer para o Designer. Você pode selecionar múltiplos arquivos, mas o Alteryx só consegue ler arquivos que tenham o mesmo formato.   Quando você clica em Abrir e executa o fluxo de trabalho, a ferramenta usa o primeiro arquivo para determinar o esquema: número de colunas, tipos de dados, etc. Os arquivos subsequentes são lidos de acordo com esse esquema. Caso o número de colunas e os tipos de dados não coincidam com o esquema, a ferramenta Dados de Entrada pula o arquivo e gera um aviso. Caso os nomes das colunas não coincidam, a ferramenta ainda lê o arquivo, mas gera um aviso. Ao final, os arquivos que apresentam o mesmo esquema são empilhados, muito parecido com o que acontece ao usar a ferramenta União (aprenda mais com esta lição interativa 😞     Você também pode utilizar a ferramenta Dados de Entrada com um caractere curinga (*) para inserir múltiplos arquivos a partir de um único diretório. Saiba como utilizar os caracteres curinga e inserir tabelas com esquemas diferentes aqui.   Procurando entradas mais dinâmicas? A ferramenta Entrada Dinâmica tem a solução! Aprenda mais aqui.   Observação: se você está compartilhando fluxos de trabalho que contêm essas ferramentas de entrada, lembre-se de exportá-los caso o destinatário não tenha os mesmos arquivos de entrada no computador. Para isso, primeiro salve o seu fluxo de trabalho em Arquivo > Salvar. Depois, vá para Opções > Exportar fluxo de trabalho e use as caixas de seleção para incluir todos os arquivos que você deseja:       Quer ver como a ferramenta Dados de Entrada funciona na prática? Acesse as lições interativas da Academia Alteryx e aprenda mais sobre como inserir dados no seu fluxo de trabalho!   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Dados de Entrada! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e talvez nos contando como e para o que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um Blog, envie um email para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou, talvez, qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD na Comunidade em inglês 
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Junções Múltiplas como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta Junções Múltiplas é uma combinação das ferramentas Junção e União (aprenda mais sobre elas nas aulas interativas Combinar dados com a ferramenta Junção e Combinar dados com a ferramenta União) . Ela permite consolidar um fluxo de trabalho em uma ferramenta só, em vez de ter que empregar várias ferramentas de Junção e União:     A ferramenta Junções Múltiplas pode gerar todas as junções (esquerda, interna e direita):     Ou gerar apenas uma Junção interna quando "Somente gerar registros que são unidos a partir de todas as entradas" estiver marcado:     Essa funcionalidade, que combina Junção e União, é revelada nos dois exemplos a seguir: Junções múltiplas com critérios de junção idênticos Junções múltiplas com critérios de junção diferentes   A junção de múltiplas entradas com critérios de junção idênticos é mais fácil porque a saída é exatamente o que se espera (uma junção interna). Como não haverá as saídas Esquerda (L) ou Direita (R) para mostrar os registros que não tiveram correspondência, a ferramenta Junções Múltiplas só deve ser utilizada para fazer a junção de mais de 2 entradas ao mesmo tempo. Caso contrário, uma ferramenta Junção comum funcionaria da mesma forma.   A junção de múltiplas entradas com critérios de junção diferentes utiliza realmente a função de união. Assim, no caso de haver registros sem correspondência (que apareciam nas âncoras L e R de uma ferramenta Junção comum), eles aparecerão na saída como "Null".   Entrada 1:    Entrada 2:   Entrada 3:   Saída:   Essa função é especialmente útil ao preparar relatórios porque para as ferramentas de Geração de Relatórios é irrelevante a existência de colunas nulas em uma linha. Por exemplo, a junção de uma Tabela com um Texto do Relatório cria uma saída sem correspondência:       Mas a ferramenta Layout ainda cria um relatório adequado:     A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Junções Múltiplas! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um Blog, envie um email para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!     *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @JoshKushner na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta RegEx como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta RegEx é como o canivete suíço da análise no Alteryx; há muitas maneiras de utilizá-lo para fazer as coisas com mais rapidez ou eficácia, mas mesmo que você use apenas a lâmina, ele ainda é extremamente útil. Às vezes, isso é tudo de que você precisa, mas se você investir um tempo para descobrir como utilizar algumas outras ferramentas desse canivete, começará a perceber que não há muito que você não possa fazer com ele.   Antes e depois de utilizar a ferramenta RegEx.   RegEx: é boa para quê?   RegEx é uma abreviação do termo em inglês Regular Expression, e você pode pensar nela como se fosse um outro idioma. Ela utiliza símbolos como qualquer outro idioma, mas em expressões regulares esses símbolos são usados para fazer correspondência com sequências de letras, números ou caracteres em um texto. É uma linguagem para reconhecimento de padrões.   Humanos são muito bons nesse tipo de coisa - digamos que eu mostre a você este bloco de texto:   3345 Michelson Drive, Suite 400, Irvine, CA 92612 12303 Airport Way, Suite 250, Broomfield, CO 80021 Two North Riverside Plaza, Suite 1430, Chicago, IL 60606   Você não teria dificuldades para me dizer que esses são endereços, nem qual parte é um número de rua ou um nome de cidade. Mas um computador só enxergaria um bloco de texto e não verificaria se possui endereços ou não. A RegEx é uma maneira de "reconhecer" dados úteis em um texto. Vamos "traduzir" isso para uma versão RegEx:   3345 ^/d+  O ^ significa o começo de uma linha em RegEx, então é uma boa prática incluí-lo no seu padrão inicial. Aqui, nosso padrão é /d, que significa "qualquer caractere numérico" (0-9). O + significa que queremos fazer correspondência com a expressão anterior uma ou mais vezes. Como a primeira parte do endereço é um número de rua, isso nos permite ter um número de qualquer tamanho. Michelson Drive [^/d]+ Para fazer correspondência com a rua, temos que permitir que nossa expressão pegue várias palavras de caracteres, incluindo qualquer número de espaços, já que nomes de ruas geralmente têm mais de uma palavra. Uma maneira de fazer essa correspondência é por meio do que não esperamos encontrar, usando [^...]. Essa notação de agrupamento corresponde a "qualquer caractere não listado aqui". Ao fim, significa fazer correspondência uma ou mais vezes com qualquer caractere que não seja um número. Suite 400 .* A próxima parte de um endereço é o número de apartamento/sala comercial, que pode ou não estar presente e pode potencialmente assumir várias convenções de nomenclatura. Para definir uma expressão flexível que corresponda a qualquer coisa que estiver ali, podemos usar um . para corresponder a "qualquer caractere". O * significa que podemos fazer correspondência a qualquer caractere zero ou mais vezes. Irvine [^/d]+ Novamente, isso significa apenas "qualquer caractere que não seja um número".  CA /u{2} Para fazer correspondência ao estado, podemos utilizar /u, que significa "qualquer letra maiúscula". Como se espera que a sigla do estado sempre seja uma sequência de duas letras, também podemos especificar o tamanho da correspondência utilizando {...} após nossa expressão, ou seja, "corresponder a quaisquer duas letras maiúsculas". 92612 /d{5}$ O código postal também será composto por 5 dígitos, portanto, podemos fazer algo semelhante para dizer "faça correspondência com cinco caracteres numéricos". Em seguida, podemos adicionar $ para dizer que esse deve ser o fim da linha atual.          Ferramentas básicas Existe uma grande quantidade de símbolos que são utilizados para elaborar expressões RegEx, mas o Alteryx fornece uma boa "cola" na ferramenta para você.   Você não precisa muito mais do que isso para começar a usar a RegEx e, como normalmente é no Alteryx, você descobrirá que existem muitas maneiras de criar uma expressão que corresponda a um padrão. Portanto, não se preocupe muito com os detalhes e não tenha medo de passar algum tempo aprendendo com o bom e velho método de "tentativa e erro".   Para guias mais completos sobre RegEx, consulte também o Guia Boost-Extended Format String Syntax, assim como o Guia de Sintaxe Perl RegEx.   O Alteryx estruturou a funcionalidade da RegEx em quatro métodos: Corresponder, Analisar, Substituir e Tokenizar.   Se você quiser acompanhar os exemplos a seguir no Designer, baixe o fluxo de trabalho em anexo regex.yxmd (salvo na versão 2019.1).   Corresponder   O método Corresponder simplesmente verifica se uma cadeia de caracteres pode ser descrita pela expressão regular fornecida e gera um Verdadeiro (True) ou Falso (False). Vamos utilizar os elementos da expressão da tabela acima para fazer a correspondência com os nossos endereços. É possível criar uma expressão longa apenas juntando esses elementos e incluindo espaços /s e vírgulas , onde quer que apareçam.     Os dois primeiros endereços correspondem bem utilizando essa expressão, mas o terceiro se desvia do que esperávamos ver e falha. Devido a uma regra obscura sobre edifícios que compartilham um nome com seus endereços, o número da rua está escrito por extenso e nossa expressão regular é incapaz de fazer a correspondência.   A chave para escrever uma boa RegEx é prever essas exceções em seus dados e levá-las em conta dentro da expressão. Para corresponder ao número por extenso, "Two", nesse endereço, vamos colocar outra expressão para verificar se ela falhará ao tentar fazer a correspondência. A maioria dos endereços nos Estados Unidos começa com caracteres numéricos, mas, se não começarem, esta expressão procurará por uma palavra. Veja como fica:   (?:^/d+)|(?:^/w+)   Isso é muito mais simples do que parece e, na verdade, apenas dois símbolos de RegEx adicionais são utilizados. O símbolo de barra vertical I significa "ou". Por exemplo, a|b verificaria apenas se a faz correspondência e, se não fizer, se b faz. O segundo símbolo é (?:...), também conhecido como grupo não marcado. É apenas uma maneira de agrupar esses elementos para a operação ou.       Em resumo, este primeiro grupo (?:^/d+) está apenas fazendo a mesma coisa de antes, mas, quando ele falha, a expressão tenta fazer correspondência usando o segundo grupo (?:^/w+). Isso nos permite fazer a correspondência com a versão por extenso do nosso endereço acima sem problemas.   Para saber mais sobre Corresponder: Esta postagem excelente por Adam Riley no blog Chaos Reigns Within. Tutorial: como começar a usar expressões regulares A função Regex_Match para a ferramenta Fórmula. Crédito extra: existem muitas maneiras de estruturar a RegEx; comente abaixo com uma alternativa melhor para (?:^/d+)|(?:^/w+). Por que ela é melhor?   Analisar   O método Corresponder é bom porque você pode usá-lo para validação, mas no método Analisar é realmente quando a RegEx brilha, permitindo que você extraia informações úteis de um bloco de texto. A ferramenta RegEx torna isso fácil - tudo o que precisamos é colocar parênteses (...) em torno de cada coisa que queremos extrair. São os chamados grupos marcados - a contrapartida para os nossos grupos não marcados acima (?:...).     À medida que os parênteses são digitados, eles aparecem em uma janela de campos de saída semelhante à ferramenta Selecionar, o que permite renomear os campos e alterar os tipos de dados (aprenda a formatar seus dados com esta lição interativa).   Para saber mais sobre Analisar: Parte 2 do artigo RegEx e Alteryx, de Adam Riley.   Substituir   Como é possível constatar, o método Analisar é realmente apenas uma extensão do método Corresponder que nos permite extrair o texto e colocá-lo em uma nova coluna. Bem, o que acontece quando estendemos esse conceito e nos perguntamos: "Como posso colocar as coisas de volta?" É aí que entra o método Substituir.   Com Substituir, podemos analisar componentes de nossa cadeia de caracteres, substituí-los e até reorganizá-los. Podemos fazer isso especificando grupos marcados para indicar à ferramenta RegEx o que substituir e onde, em uma linguagem que qualquer um possa entender...     A preguiça de terno está absolutamente certa, é claro, podemos usar símbolos de dólar $ juntamente com números para especificar exatamente cada grupo marcado. Por exemplo, $1, $2, e $3 se referem ao primeiro, segundo, e terceiro grupos marcados, respectivamente. Então, para a nossa lista de endereços, se quiséssemos apenas analisar uma lista de cidades e estados, poderíamos digitar a expressão $4, $5.     Observe que conseguimos adicionar nossa própria vírgula ali, e também um espaço, simplesmente digitando-os na caixa de texto. O método Substituir é bastante flexível e você também pode utilizá-lo na ferramenta Fórmula com a função Regex_Replace.   Para saber mais sobre Substituir: Converter uma cadeia de caracteres com um símbolo $ em um número Eliminar zeros à esquerda Parte 3 do artigo RegEx e Alteryx, de Adam Riley. Como remover números: RegEx ao resgate Configure um fluxo de trabalho para utilizar uma ferramenta de Interface Árvore Web scraping com o Alteryx   Tokenizar   A RegEx é muito eficaz quando as coisas nos são dadas em uma lista bonita e organizada, mas o que acontece se todos esses endereços fossem despejados sem a menor cerimônia por alguma chamada de API ou base de dados como um único bloco de texto?   3345 Michelson Drive, Suite 400, Irvine, CA 92612,12303 Airport Way, Suite 250, Broomfield, CO 80021,Two North Riverside Plaza, Suite 1430, Chicago, IL 60606   Bem, isso não é muito útil - está tudo delimitado por vírgula, mas não existe uma maneira fácil de saber quando um endereço termina e outro começa. O que precisamos aqui é do método Tokenizar, que vai pegar esse texto e dividi-lo em colunas ou linhas, de maneira muito semelhante à ferramenta Texto para Colunas (aprenda mais sobre ela nesta lição interativa). Existem duas diferenças importantes que definem o Tokenizar da RegEx: Em vez de fazer a correspondência com o que você não quer (como uma vírgula), você faz correspondência com o que você quer (todo o resto). Você tem a opção de escolher o que é dividido e o que é ignorado utilizando um grupo marcado.  Isso pode parecer confuso, mas na verdade dá muito mais flexibilidade sobre onde/como você divide seus dados. Para ilustrar, vamos dividir nosso texto de endereços em várias linhas, utilizando a vírgula como nosso delimitador.       Como temos que fazer correspondência com tudo o que queremos, precisamos utilizar a expressão (.+?)(?:,|$). Vamos examiná-la em partes: .+ significa qualquer caractere . que faça correspondência uma ou mais vezes + ? é como dizemos que esta correspondência deve ser preguiçosa em vez de ambiciosa. Essa é uma distinção bastante útil, que pode ser um pouco difícil de entender no início, mas, para os propósitos deste curso rápido, vamos nos concentrar apenas no que ? significa: faça a correspondência do que quer que seja antes de zero vezes (ou seja, não faça) ou antes de exatamente uma vez. O sinal de mais + é, na verdade, o oposto: é um símbolo ambicioso, portanto, o caractere anterior . tentará fazer correspondência uma ou mais vezes. Então, o que significa quando dizemos para algo ambicioso ser preguiçoso? Bem, na verdade, isso modifica o quanto ele pode ser ambicioso, forçando-o a olhar para a próxima correspondência. Então, o que .+? realmente significa é: "faça a correspondência a um caractere uma ou mais vezes até que você possa corresponder ao que vem a seguir". O que vem a seguir é um grupo não marcado (?:,|$) que essencialmente funciona como uma placa de PARE para o (.+?) anterior. Como não está no grupo marcado, não estará presente no resultado. Está apenas em um grupo não marcado, para que solicitemos que procure ou por uma vírgula , ou pelo fim da linha $ no final do texto. Ufa - quanta informação! Fique a vontade para aproveitar esta oportunidade para alongar-se, dar uma caminhada ou meditar.     Obviamente, a ferramenta Texto para Colunas pode dividir usando uma vírgula de maneira mais fácil do que o apresentado acima, ma s a flexibilidade de Tokenizar vem à tona quando tentamos fazer algo um pouco mais útil. Por exemplo, podemos usar esse método para dividir aquele bloco de informações de endereço nos três endereços originais.       Nesse caso, estamos apenas utilizando a última expressão correspondente ao código postal /d{5} para marcar onde cada correspondência termina. Como mencionado acima, sabemos que cada linha terminará ou com uma vírgula, ou com o fim da linha, e podemos usar aqui (?:,|$) para dividi-las com sucesso. No exemplo acima, optei por mostrar a capacidade de ? fazer correspondência zero ou uma vez para substituir isso - para que possamos dividir em uma "vírgula opcional" após a correspondência com o grupo marcado.   Para saber mais sobre Tokenizar: Parte 3 do artigo RegEx e Alteryx, de Adam Riley, e uma resposta do blog Engine Works, do cofundador da Alteryx, Ned Harding. Crédito extra: o ,? não funcionará no caso anterior, dividindo apenas por vírgula - (.+?),? em vez de (.+?)(?:,|$). Por quê? Comente abaixo com uma explicação para glória eterna e o direito de se vangloriar.     A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta RegEx! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um Blog, envie um email para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @AlexKo na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas funciona de maneira muito semelhante à ferramenta Fórmula normal, mas inclui a capacidade de fazer referência a várias linhas de dados em uma única expressão. Digamos, por exemplo, que alguém estivesse no andar térreo de uma casa e tivesse uma ferramenta Fórmula. Essa pessoa só poderia conversar com outras pessoas que também estivessem no térreo. Se ela tivesse uma ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas, também seria capaz de conversar com as pessoas no andar de cima, no sótão e no porão.       A ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas permite que o usuário atualize um campo existente ou crie um novo. Ambas as opções podem ser muito úteis e há muitos casos de uso para cada uma. Os casos de uso descritos abaixo estão anexados no fluxo de trabalho Fórmula de Múltiplas Linhas.yxmd (salvo na versão 2019.1).     Atualizar campo existente   "Preencher" um campo: Muitas vezes, os dados podem ser organizados de maneira a ficar com uma aparência agradável no Excel, mas que não é realista para se trabalhar no Alteryx. Nesses casos, a melhor opção é "preencher" as colunas que têm valores ausentes.        No caso acima, apenas a primeira pessoa de cada família tem seu sobrenome preenchido. Portanto, gostaríamos de modificar o campo "Família" onde ele apresenta [Null]. Isso pode ser realizado com facilidade da seguinte maneira:   Para trazer variáveis e funções de forma fácil para a caixa de expressão, basta clicar duas vezes sobre elas dentro da guia correspondente na janela de configuração.   Criar novo campo: Criar um identificador exclusivo para cada pessoa no grupo: Agora que os dados estão limpos, queremos adicionar um ID exclusivo para cada pessoa de acordo com a família a que pertence. Para isso, vamos configurar a ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas da seguinte maneira:   Ao criar um novo campo, você pode selecionar de que tipo será. Aqui, Int16 foi escolhido. Observe que estamos agrupando por "Família", pois queremos que o ID seja exclusivo para cada sobrenome, mas ele pode começar de novo para sobrenomes diferentes. Esse novo campo "ID" pode ser utilizado mais tarde como um identificador em ferramentas como Filtrar, Sumarizar e outras.   Fazer cálculos: O que seria de uma ferramenta de múltiplas linhas sem a capacidade de fazer referência a mais do que apenas as linhas diretamente antes ou depois dela? Ao alterar o valor em "Número de linhas", na janela de configuração, é possível aumentar o número de linhas que você pode utilizar em suas expressões.   Neste exemplo, aumentamos o número de linhas para 2. Observe como agora há mais variáveis para selecionar na seção central da janela de configuração. Porque queremos o total acumulado por sobrenome, agrupamos novamente pelo campo "Família".   Esse método pode ser estendido para gerar totais acumulados em vários cenários diferentes, incluindo vendas, contagens de itens e muito mais.    Agora, queremos calcular o valor médio do tempo total de tela por família. Nesta caixa de expressão da ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas, usando a função "average" para calcular a média, escrevemos:    iif([ID]=3,average([Row-2:Tempo total de tela],[Row-1:Tempo total de tela],[Tempo total de tela]),iif([ID]=2,average([Row-1:Tempo total de tela],[Tempo total de tela],[Row+1:Tempo total de tela]),average([Row+2:Tempo total de tela],[Row+1:Tempo total de tela],[Tempo total de tela])))   Isso verifica o valor de ID de cada linha e personaliza a fórmula para gerar uma média utilizando as linhas corretas.    Verificar a diferença em relação ao anterior: Uma configuração para essa ferramenta de que ainda não tratamos é o menu suspenso "Valores para linhas que não existem". Isso indica ao Alteryx o que utilizar quando uma fórmula precisar do valor de uma linha que não existe (daí o nome do menu suspenso). Isso aconteceria, por exemplo, ao calcular um valor para a primeira linha de dados quando a expressão contém uma variável Linha -1 ([Row-1]), ou seja, uma variável que referencia uma linha anterior à primeira linha. O usuário pode escolher o valor dessa linha inexistente.   Neste exemplo, a linha que não existe é definida para a linha válida mais próxima. Dessa forma, quando a fórmula tenta utilizar [Row-1:Tempo total de tela] na linha 1 e percebe que a linha "-1" não existe, a fórmula usa o valor da própria linha 1. Isso resulta na diferença de 0 que você vê na saída (figura mais abaixo).     Uma ferramenta Ordenar foi colocada antes dessa ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas para classificar o tempo total de tela em ordem decrescente. A fórmula acima criou um campo que é a diferença entre o tempo total de tela da linha atual e o tempo total de tela da linha anterior. Isso facilita a visualização de quanto tempo de tela a mais cada pessoa precisa para alcançar a pessoa à sua frente.   Muitas vezes a ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas é utilizada em combinação com a ferramenta Tabela de Referência Cruzada (aprenda mais sobre ela neste artigo do Domínio de Ferramentas). Isso é particularmente útil se você estiver tentando transformar algumas colunas de dados em uma tabela. Um membro da Comunidade Alteryx teve exatamente esse problema e conseguiu resolvê-lo nesta postagem.   A ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas só pode atualizar um campo por instância de ferramenta. Se você deseja atualizar vários campos (e se sentir confortável usando a ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas e a ferramenta Fórmula de Múltiplos Campos), experimente esta macro que foi postada no Alteryx Gallery público.   Para aprender mais sobre as ferramentas citadas neste artigo, assista às lições interativas da nossa Comunidade: Filtrar dados, Sumarizar dados, Ordenar dados e Mudar o layout dos dados.   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um Blog, envie um email para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @Kenda na Comunidade em inglês  
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Entrada Dinâmica como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   Para a maioria das ferramentas que já tem a palavra “dinâmica” no próprio nome, seria redundante dizer que elas estão entre as ferramentas mais dinâmicas do Designer... mas esse não é o caso da Entrada Dinâmica! Usando a configuração básica, a ferramenta Entrada Dinâmica permite que você especifique um modelo (que pode ser um arquivo ou uma tabela da base de dados) e, a partir daí, insira qualquer número de tabelas lendo uma lista de outras fontes ou modificando consultas SQL (desde que as tabelas correspondam ao formato do modelo – estrutura/esquema). Isso é especialmente útil no caso de conjuntos de dados periódicos, mas a utilização dessa ferramenta vai muito além da sua configuração básica. Para auxiliar você na combinação de dados, catalogamos diversos usos que tornam a ferramenta Entrada Dinâmica tão versátil. Para ver alguns desses exemplos em ação, baixe o fluxo de trabalho  em anexo Entrada Dinâmica.yxzp.     Ler várias planilhas de um mesmo arquivo do Excel ao mesmo tempo   Digamos que você tenha um arquivo do Excel contendo várias planilhas, uma para cada mês do ano por exemplo. Você quer trazer todas essas planilhas para o Designer ao mesmo tempo:     Vamos começar trazendo para o Designer uma lista dos nomes das planilhas. Arraste a ferramenta Dados de Entrada para a tela e use a seta suspensa para conectá-la ao seu arquivo de interesse. Na caixa de diálogo Selecionar entrada do Excel, marque a opção Importar somente a lista de nomes das planilhas:     Agora arraste a ferramenta Entrada Dinâmica. Primeiro vamos escolher uma planilha que vai servir de modelo para ler o esquema/formato de todas as outras:       Neste ponto, o Designer mostra uma pré-visualização da planilha que você selecionou como modelo. Se quiser adicionar uma coluna mostrando de qual planilha vem cada linha de dados, configure o campo Gerar campo com o nome do arquivo com a opção Caminho completo:   Prontinho! Todos os dados de todas as planilhas são empilhados e a coluna "FileName" mostra exatamente de qual delas cada linha veio!      Quer um bônus? Abra o fluxo de trabalho em anexo para conferir como substituir esses caminhos longos da coluna "FileName" somente pelo nome de cada planilha, assim:       Ler diferentes arquivos ao mesmo tempo   Para fazer isso com a ferramenta Entrada Dinâmica (também é possível ler arquivos que estão no mesmo diretório usando um caractere curinga na ferramenta Dados de Entrada), você precisa apenas indicar a coluna que contém os locais dos arquivos em Ler uma lista de fontes de dados e selecionar a ação Alterar todo o caminho do arquivo . A ferramenta  Diretório  é bastante utilizada para listar arquivos.   Vamos ver como isso funciona mais de perto. Arraste a ferramenta Diretório para a tela e selecione a pasta que contém os arquivos que você deseja trazer para o Designer. Veja que, para o nosso exemplo, eu forneci uma especificação de arquivo porque, no nosso caso, todos os arquivos em que estamos interessados começam com a palavra "Arquivo". Se os arquivos em que você está interessado são somente os arquivos .csv contidos na pasta, por exemplo, você pode usar a especificação *.csv . Caso contrário, deixe a especificação de arquivo padrão *.* .     Perceba que o primeiro campo gerado pela ferramenta diretório é chamado "FullPath" e contém o caminho completo de todos os arquivos da pasta indicada. É ele que vamos usar na nossa ferramenta Entrada Dinâmica:     Arraste a ferramenta Entrada Dinâmica para a tela e conecte-a à ferramenta Diretório. Escolha um modelo, exatamente como fizemos no exemplo anterior. Desta vez, configure o campo Gerar campo com o nome do arquivo com a opção Somente nome do arquivo:     De volta à janela de configuração, escolha o campo "FullPath" (que contém todos os caminhos dos arquivos) e selecione Alterar todo o caminho do arquivo. E e só! Nos resultados você já pode ver todos os dados de todos os arquivos empilhados, com uma coluna extra indicando de qual arquivo veio cada linha de dados:     Outros usos para a ferramenta Entrada Dinâmica   Modificar consultas SQL para substituir cadeias de caracteres, atualizar cláusulas WHERE, aplicar filtros espaciais e editar procedimentos armazenados para a sua entrada. Você pode encontrar um exemplo de como isso funciona no fluxo de trabalho em anexo. Como não temos acesso às mesmas conexões de base de dados, a consulta SQL utilizada no nosso fluxo de trabalho simplesmente seleciona todos os registros do mesmo arquivo do Excel usado no exemplo anterior. Se em vez disso você conectar uma base de dados SQL, você poderá ver o Editor SQL selecionando “Tabela ou Consulta”:   Usar uma macro de lote no Designer para importar múltiplas planilhas de diferentes arquivos do Excel  - aprenda mais neste artigo.   Procurando mais informações sobre como utilizar a ferramenta Entrada Dinâmica? Dê uma olhada nesta lição interativa da Comunidade em português e neste vídeo de treinamento ao vivo. Para saber mais sobre entrada de dados em geral, confira também o artigo  Ultimate Input Data Flowchart.   Recursos adicionais: - Artigo do Domínio de Ferramentas sobre Dados de Entrada - Lição Interativa sobre como Inserir dados no seu fluxo de trabalho   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Entrada Dinâmica! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Exclusivo como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:    Ao contrário do que acontece com os flocos de neve, é possível existir duplicatas quando se trata de dados. Para saber se um registro em seus dados é ou não uma duplicata, temos uma ferramenta incrível chamada Exclusivo, que é capaz de fazer com que seus dados sejam como flocos de neve: únicos.   É muito simples entender a essência da ferramenta Exclusivo (um ótimo recurso é a lição interativa Remover valores duplicados). Na configuração, você seleciona para quais colunas deseja identificar a ocorrência de registros únicos e duplicados. Se apenas uma coluna for selecionada, a ferramenta procura por registros exclusivos apenas naquela coluna específica. Se duas ou mais colunas forem selecionadas, a exclusividade do conjunto de dados é analisada combinando-se os registros dessas colunas. A saída U (âncora Exclusivo) mostra uma lista dos registros únicos com base nas colunas que você selecionou, enquanto a saída D (âncora Duplicatas) fornece a lista de duplicatas. Também é útil saber que o primeiro registro em cada grupo exclusivo é enviado para o fluxo de saída U, enquanto os registros restantes são enviados para a saída D.   Por exemplo, digamos que você tenha um conjunto com dados de clientes, incluindo os campos Nome e Sobrenome (fluxo de trabalho em anexo, Exclusivo.yxmd). Nos seus dados existem dois registros de clientes chamados João:     Se você selecionar somente a coluna Nome na configuração da ferramenta Exclusivo, o primeiro registro (João Lima) vai para o fluxo de saída U e o segundo (João Alves) vai para o fluxo D, ou seja, esse processo depende da ordem em que os nomes aparecem nos dados. Perceba que o nome Lisandra também aparecia duas vezes:     Se você selecionar ambas as colunas, Nome e Sobrenome, tanto João Lima quanto João Alves aparecem no fluxo de saída U porque quando a ferramenta considera ambas as colunas, os dois nomes são únicos. Observe que o segundo registro da cliente Lisandra continua saindo na âncora D, já que tanto o nome quanto o sobrenome são iguais:         Um bom exemplo para consultar e aprender as ferramentas é fornecido no próprio Alteryx Designer. Clique na ferramenta Exclusivo (categoria Preparação) e selecione Abrir exemplo. Muitas ferramentas do Designer vêm com exemplos de fluxos de trabalho que são um ótimo começo para quem está aprendendo!   Veja algumas situações comuns em que a ferramenta Exclusivo é utilizada:   Para garantir que os dados combinados não tenham registros duplicados antes de efetuar uma junção. Para verificar a exclusividade dos registros antes de atribuir chaves primárias a uma tabela de base de dados com restrições.  Para obter a primeira instância de um registro exclusivo, semelhante à ação "Primeiro" da ferramenta Sumarizar (aprenda a sumarizar dados nesta lição interativa). Como a ordem dos registros faz diferença (lembre-se que somente o primeiro registro de qualquer grupo de duplicatas vai para a âncora U), você pode utilizar isso a seu favor para ordenar os registros da maneira que desejar antes de usar a ferramenta Exclusivo.   Agora que você entendeu como funciona a ferramenta Exclusivo, já pode iniciar sua jornada para descobrir todas as duplicatas ocultas em seus dados.   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Exclusivo! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @Ozzie na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
  Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Encontrar e Substituir como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta Encontrar e Substituir é uma daquelas que você não dá muita atenção até se deparar com uma técnica de combinação de dados que seria extremamente difícil sem ela – aí sim, ela se torna sua ferramenta preferida no Designer (aprenda as configurações básicas nesta lição interativa da Academia Alteryx). Ela faz parte da categoria Junção e facilita substituições de cadeias de caracteres nos dados – sem a ferramenta Encontrar e Substituir, isso exigiria um trabalho homérico para resolver! Por isso, hoje a celebramos como o verdadeiro herói que é:   Encontrar e Substituir, ao resgate!     Faça substituições em HTML ou ASCII sem esforço - veja como configurar a ferramenta no fluxo de trabalho em anexo, Encontrar e Substituir.yxzp:   Use tabelas de consulta para padronizar dados - veja como configurar a ferramenta no fluxo de trabalho em anexo, Encontrar e Substituir.yxzp:       Simplifique o parsing de dados com delimitadores: quando a gente pensa em separar ou substituir dados usando delimitadores, as primeiras ferramentas que vem à mente são as da categoria Analisar, como Texto para Colunas e RegEx. Mas a ferramenta RegEx pode ser difícil pra quem está recém entrando no magnífico universo das expressões regulares (aprenda mais sobre RegEx neste artigo do Domínio de Ferramentas). E é importante lembrar que a ferramenta Texto para Colunas só pode separar texto usando um único caractere. Isso significa que se você fornecer a ela delimitadores com múltiplos caracteres, seu texto será dividido em cada caractere fornecido e não usando uma combinação deles (veja como isso funciona de perto com a lição interativa Separar dados em linhas e colunas). Entra a ferramenta Encontrar e Substituir para simplificar as coisas! Tente usá-la para reduzir esses delimitadores a um único caractere antes de seguir com seu fluxo de trabalho:       A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Encontrar e Substituir! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Transpor como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta Transpor gira os dados de todos os campos selecionados. Os nomes das colunas são listados no campo Name e os valores dos dados correspondentes são listados no campo Value. Você também pode selecionar colunas-chave para que estas permaneçam inalteradas durante a transformação. A ferramenta Transpor é muitas vezes usada em conjunto com a ferramenta Tabela de Referência Cruzada (aprenda mais aqui), que basicamente funciona da maneira inversa.   Transpor dados para sumarizar linhas Para os exemplos a seguir, usei dados de taxa de natalidade do World Bank Group. Você pode encontrar esses dados no fluxo de trabalho em anexo do Alteryx versão 2019.1 (Transpor v19.1.yxzp). Veja como os dados originais aparecem no Designer:     Queremos obter estatísticas básicas por país, como média, mínimo, máximo e desvio padrão. A ferramenta Sumarizar é perfeita para esse trabalho, mas requer que os dados estejam orientados de outra maneira: os anos devem estar todos em uma única coluna, com os pontos de dados respectivos em outra coluna. É aí que entra a ferramenta Transpor:                                                     Para configurar a ferramenta Transpor, nós selecionamos algumas colunas-chave e depois marcamos todos os anos como colunas de dados:     Isso coloca nossos dados originais neste formato:     Observe que nossas quatro colunas-chave permanecem inalteradas e nossas colunas de dados são transpostas (os nomes das colunas transpostas ficam em Name e os valores correspondentes em Value). Depois, usamos a ferramenta Filtrar para capturar os anos selecionados pelo usuário (quando o fluxo de trabalho é executado como um aplicativo analítico) e eliminar os valores nulos. Agora a ferramenta Sumarizar pode usar o campo Value, onde estão todos os valores relativos aos anos selecionados, para calcular as estatísticas de que precisamos:       Transpor como no Excel Para quem está familiarizado com a opção "Transpor" ao colar no Excel, é útil observar que a ferramenta Transpor do Alteryx não é igual; no entanto, é possível transpor dados da mesma forma que no Excel, adicionando algumas outras ferramentas:                                                                     Primeiro, nós adicionamos a ferramenta ID de Registro antes de transpor os dados e, então, usamos esse novo campo de ID como chave e todos os campos originais como dados. Depois da ferramenta Transpor, queremos adicionar outro identificador agrupado pelo primeiro ID, então usamos a ferramenta Bloco. Em seguida, usamos a ferramenta Selecionar para fazer com que o campo gerado pela ferramenta Bloco, "Tile_Num", fique antes do campo Name. As ferramentas Bloco e Selecionar são usadas para ajudar a ferramenta Tabela de Referência Cruzada a manter as coisas em ordem. É importante que o campo de ordenação (Tile_Num, no caso) esteja antes dos outros campos que estamos usando para o agrupamento na Tabela de Referência Cruzada. Observe como a Tabela de Referência Cruzada está configurada:     Prontinho! O resultado agora corresponde à opção "Transpor" que aparece ao colar no Excel. Se você quiser, pode dar uma olhada no arquivo do Excel no qual transpus os dados para verificar que o resultado é o mesmo do Alteryx (você pode acessar esse arquivo abrindo a pasta onde baixou o fluxo de trabalho em anexo "Transpor v19.1").   Realizar cálculos em colunas Mais ou menos uma vez por mês alguém posta na Comunidade o mesmo conceito básico: com os dados no Excel, é possível escrever uma fórmula simples que faz referência a colunas (D1 = A1 + B1). Essa fórmula pode ser copiada para obter soluções para todas as colunas (E1 = B1 + C1 etc.). Como isso é possível no Alteryx? Não queremos escrever uma fórmula separada para cada coluna! Alguém sempre vem ao resgate e aponta que a transposição dos dados soluciona o problema.   Queremos agora calcular, para os nossos dados de taxa de natalidade, a mudança anual para cada país em todos os anos. Assim, para 1961, gostaríamos de ter a mudança em relação à taxa de natalidade de 1960 calculada desta maneira: Birth Rate1961/Birth Rate1960 -1. Para 1962, seria Birth Rate1962/Birth Rate1961 -1 e assim por diante. Nós podemos iniciar com a ferramenta Transpor, da mesma forma que no exemplo do Excel, e depois usar a ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas para fazer os cálculos antes de girar os dados de volta para o lugar com a ferramenta Tabela de Referência Cruzada.                                                         Você pode aprender mais sobre a ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas neste artigo do Domínio de Ferramentas. É difícil tentar imaginar como tudo isso funciona, então acompanhe o passo-a-passo no fluxo de trabalho em anexo para visualizar esse exemplo em ação!   Preparar pares de nomes/valores para usar como entrada em ferramentas de Interface Talvez você tenha notado, em nosso primeiro exemplo, a ferramenta Caixa de Listagem. Essa é uma ferramenta de Interface e pode ser usada para permitir que um usuário selecione os anos sobre os quais ele quer obter as estatísticas. Para ver como isso funciona na prática, execute o fluxo de trabalho em anexo como um aplicativo analítico usando o ícone de varinha ao lado do botão Executar e selecione os anos que você quer ver nos resultados (de 1990 a 1999, por exemplo).     De volta ao fluxo de trabalho, observe que a ferramenta Caixa de Listagem faz referência a um arquivo de entrada que tem uma lista com todos os anos para o usuário escolher (Years_input.yxdb). Para produzir essa lista automaticamente a partir dos nossos dados de entrada, podemos usar as ferramentas Transpor e Sumarizar:                                             Para a ferramenta Caixa de Listagem, você deve ter um campo com nomes (chamado "Name") e um campo com valores (chamado "Value"). Em nosso caso, queremos que ambos sejam os anos que estão no campo "Name" da ferramenta Transpor. Podemos configurar a ferramenta Sumarizar para criar esses campos assim:     Feito! Acabamos de criar um arquivo que tem uma lista dos anos contidos em nossos dados iniciais e que pode ser usado para alimentar a ferramenta Caixa de Listagem.   A ferramenta Transpor é extremamente versátil, mas pode levar algum tempo para se acostumar com ela. Lembre-se de que a saída dessa ferramenta sempre terá as colunas-chave que você escolher, mais as colunas Name e Value. Observe que, muitas vezes, ela é usada em conjunto com a ferramenta Tabela de Referência Cruzada.   Quer aprender ainda mais sobre as ferramentas citadas neste artigo? Confira as lições interativas que já estão disponíveis na nossa Academia em português: Transpor e Tabela de Referência Cruzada, Sumarizar, Filtrar e Selecionar.   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Transpor! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um Blog, envie um email para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @patrick_digan na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Selecionar como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta Selecionar  do Alteryx Designer é como aquela pessoa que foi especial para você durante o ensino médio: sempre lá quando você precisava, ajudando você a descobrir mais sobre si mesmo.  A ferramenta Selecionar pode fazer exatamente isso, mostrando o tipo e a estrutura dos seus dados, mas também oferecendo a flexibilidade para modificá-los.   A ferramenta Selecionar é útil para alterar todos os tipos de dados no Alteryx: numéricos, cadeias de caracteres, objetos espaciais, data/hora...   Um dos tipos numéricos mais populares é o decimal fixo (FixedDecimal). Ele permite que você especifique um determinado nível de precisão para os seus valores. Devido a arredondamentos, isso é particularmente importante ao examinar valores monetários.   Os dados do tipo Int (Int16, Int32, Int64) são uma forma de melhorar a velocidade do processamento, reduzindo o tamanho da cadeia dos campos numéricos.   Se você tem caracteres especiais complexos (por exemplo, caracteres chineses), você pode escolher uma cadeia de caracteres ampla de comprimento variável (V_WString) para poder utilizá-los.   Não somente o tipo, mas também a aparência dos dados pode ser manipulada com a ferramenta Selecionar, que permite a você renomear, reordenar e excluir campos.      Uma das funcionalidades que muitas pessoas não utilizam é a capacidade de salvar a configuração completa da ferramenta Selecionar. Você pode escolher essa opção para importar a configuração de um conjunto de dados como ponto inicial para configurar um outro conjunto semelhante. Você também pode usar esse recurso quando tem um novo fluxo de trabalho e não é possível copiar a própria ferramenta Selecionar.     A seleção do campo "Unknown" permite a entrada de campos dinâmicos ou desconhecidos. A posição em que você coloca o campo "Unknown" determina em que lugar do arquivo esses campos novos (ou inesperados) serão colocados. Ele vem selecionado por padrão nas propriedades de configuração. Se você não quiser permitir novos campos, basta desmarcá-lo.   Com a opção "Tipo de campo: Forçado", você pode garantir que o tipo de um campo de entrada seja sempre consistente. Isso pode ser útil ao configurar macros.   Por padrão, o Designer reconhece o ponto como separador decimal. Para utilizar vírgulas como separadores decimais, marque a caixa de seleção na parte inferior da janela de configuração. Assim, ao converter dados entre os tipos numérico e cadeia de caracteres, você terá: Se 1776,45 for lido como um tipo String e você convertê-lo em Double, o resultado será 1776.45 quando essa opção estiver selecionada. Se 1776.45 for lido como um Double e você convertê-lo em um tipo String, o resultado será 1776,45 quando essa opção estiver selecionada.   Para saber mais sobre tipos de dados, confira o vídeo de treinamento ao vivo  da Comunidade Alteryx Understanding Data Types. Para aprender mais sobre como configurar a ferramenta Selecionar, não deixe de conferir a lição interativa Formatar dados!   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Selecionar! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o   Blog da Comunidade   compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para flavia.brancato@alteryx.com   para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da   Base de Conhecimento   para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @JordanB na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Sumarizar como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   Você sabia que uma partida de futebol americano dura em média 3 horas e 12 minutos, mas desse tempo são jogados somente 11 minutos em média? Apesar de adorar comer um monte de Doritos enquanto assisto todos aqueles intervalos comerciais, o que realmente me interessa são os destaques do jogo. A ferramenta Sumarizar provavelmente concordaria que a maneira mais efetiva de comunicar os seus dados está no resumo mais conciso possível. Seja concatenando cadeias de caracteres para armazenamento, mesclando relatórios para uma leitura mais fácil, combinando objetos espaciais ou calculando médias e outras fórmulas em agrupamentos de dados, a ferramenta Sumarizar pode reestruturar os seus dados para torná-los mais informativos (dê uma olhada nesta lição interativa). Este artigo fornece alguns exemplos de como fazer isso.   A ferramenta Sumarizar é útil para quase todos os tipos de dados: numéricos, cadeias de caracteres, objetos espaciais, perfis comportamentais e até mesmo elementos de relatórios. Apenas para citar algumas ações (a lista completa dos processos de sumarização pode ser encontrada aqui), dados numéricos podem ser somados, convertidos em percentis ou utilizados para calcular desvio padrão e média. Eles também podem ser utilizados em diversos cálculos financeiros. É fácil concatenar cadeias de caracteres com o delimitador que você escolher ou identificar quais são as cadeias mais longas ou mais curtas em um agrupamento. Se você tem talento para dados espaciais, pode utilizar as ações de geografia para combinar objetos espaciais ou utilizá-los para criar interseções, retângulos delimitadores, envoltórias convexas e centroides.  Embora não seja obrigatório, todas essas ações podem ser aplicadas separadamente a grupos de registros que você especifica em seus dados. Para fazer isso, primeiro utilize a ação “Agrupar por” em um ou mais campos. Isso faz com que as ações subsequentes sejam aplicadas separadamente a grupos de registros que compartilham o mesmo valor no(s) campo(s) escolhido(s) para o agrupamento. Você pode até mesmo utilizar essa ferramenta para contar quantos registros existem em cada grupo e identificar valores mínimos e máximos. Para a sua referência, anexamos o fluxo de trabalho Ferramenta Sumarizar.yxzp que demonstra usos para alguns tipo de dados que a ferramenta Sumarizar é capaz de transformar:   Se você gosta da granularidade das informações que os seus dados sumarizados fornecem, mas quer que eles apareçam junto com os dados originais, você pode combiná-los com a ferramenta Junção. Para isso, use o mesmo campo que você selecionou para "Agrupar por" como o campo de junção (não esqueça de desmarcar os campos redundantes na janela de configuração da ferramenta Junção!). O fluxo de trabalho Agregar e Reformatar.yxzp em anexo demonstra um exemplo disso (veja a adição do campo "Contagem por Segmento” abaixo):   A ferramenta Sumarizar também pode ser utilizada para reestruturar seus dados – de maneira muito parecida com outra ferramenta da categoria Transformação, a Tabela de Referência Cruzada. Assim, linhas que foram concatenadas podem ser facilmente convertidas em colunas com a ferramenta Texto para Colunas. O anexo Agregar e Reformatar.yxzp demonstra essa reestruturação: Por fim, se você adora usar a ferramenta Sumarizar, mas acaba gastando muito tempo renomeando os campos depois que ela adiciona prefixos para cada ação (você é exigente, nós sabemos, é por isso que você usa o Alteryx), tente removê-los de uma só vez usando a abordagem mostrada no fluxo de trabalho em anexo Cortar prefixos de sumarização.yxzp:     Se quiser aprender passo a passo como usar as ferramentas citadas neste artigo, não deixe de fazer as lições interativas da Academia Alteryx: Sumarizar dados Combinar dados com a ferramenta Junção Mudar o layout dos dados com a ferramenta Tabela de Referência Cruzada Separar dados em linhas e colunas com a ferramenta Texto para Colunas   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Sumarizar! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o   Blog da Comunidade   compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para   flavia.brancato@alteryx.com   para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da   Base de Conhecimento   para ser notificado das novidades!
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Tabela de Referência Cruzada como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   Às vezes você olha para a quantidade enorme de dados à sua frente e se pergunta como poderá organizá-los. Todas as opções parecem exigir uma grande quantidade de trabalho manual e, sendo o profissional em combinação de dados que você é, isso é algo que você não precisa tolerar!   Situações como essa requerem mudanças drásticas. Não existe nada melhor para isso do que a Tabela de Referência Cruzada, uma ferramenta poderosa que possibilita remodelar os seus dados do jeito que você quiser, permitindo abordar o seu problema de um novo ângulo. Neste artigo, vou apresentar alguns casos de uso para mostrar como você pode aproveitar essa ferramenta incrível. Você pode aprender mais sobre as configurações básicas na aula interativa Mudar o layout dos dados. Se quiser acompanhar de perto os fluxos de trabalho mostrados abaixo, abra o arquivo Casos de Uso 19.2.yxzp em anexo.   Caso de uso 1: Facilitar a extração de dados dinâmicos por meio da atribuição de grupos   Os dados? Você recebe uma lista que se parece com o campo "Field_1" abaixo. O PMID é o número identificador (ID) de um artigo médico em um banco de dados. Cada FAU se refere a um autor no artigo. Um artigo pode ter qualquer número de autores.       O objetivo? Uma tabela com números de ID no primeiro campo e colunas correspondentes para autores.       Como? Prepare os dados filtrando e separando o identificador. A terceira coluna acima, "Field_12", mostra os dados utilizáveis. Use uma Fórmula de Múltiplas Linhas para identificar a coluna de ID e as colunas de autor exclusivamente. Nesse caso, cada número de ID é representado por "0" e os autores são contados de zero até que se atinja outro ID. Veja a coluna "Headers" (cabeçalhos). Use outra Fórmula de múltiplas linhas para associar cada grupo de cabeçalhos entre si. Estamos criando basicamente um ID de registro - cada ID de registro identifica um único artigo na base de dados.  Veja a coluna "Groups" acima. Tabela de Referência Cruzada! Ao utilizar essas colunas de identificação, você pode girar os seus dados de maneira que cada um dos cabeçalhos crie uma coluna e cada um dos grupos crie uma linha. Veja a janela de configuração na primeira imagem acima.   Caso de uso 2: Realizar cálculos dinamicamente para qualquer quantidade de campos   Os dados? Um punhado de campos numéricos, ilustrados abaixo. Eles são agrupados por categoria (campo "Category") e você adicionou um identificador exclusivo para cada registro (campo "RecordID").       O objetivo? Médias móveis para cada coluna dentro de sua respectiva categoria.       Como? Em vez de gerar uma Fórmula de Múltiplas Linhas para cada coluna, utilize a ferramenta Transpor para passar tudo para uma única coluna. Na seção Colunas-chave , marque “RecordID” e “Category.” Veja a janela de configuração na primeira imagem. O resultado é a saída abaixo. Embora trabalhar com esses dados possa parecer ainda mais difícil agora, isso permite que você calcule a média móvel de uma só vez. Utilize a ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas para calcular uma média. Você pode facilmente evitar selecionar os valores errados utilizando a opção Agrupar por - marque “Category” e “Name”. Defina também a opção Valores para linhas que não existem para a linha válida mais próxima.   Reestruture os dados utilizando a Tabela de Referência Cruzada! (Agrupe por “RecordID”, selecione o campo “Name” para os cabeçalhos e o campo “r3” para os valores.)    Caso de uso 3: Simplificar uma lógica complicada com as metodologias da Tabela de Referência Cruzada   Os dados? Você tem uma lista de todas as combinações possíveis de 5 itens. Para cada combinação, um número de linhas correspondente ao número de itens traz o peso e o valor de cada item - isto é, a combinação 123 está representada três vezes, com informações para o item1, item2 e item3.   O objetivo? Você deseja otimizar a sua seleção de itens para atender a determinados critérios, como peso mínimo e valor máximo.   Como? Utilize uma ferramenta Fórmula para adicionar uma coluna para o peso, conforme mostrado na primeira imagem (coluna "Weight"). Utilize a Tabela de Referência Cruzada com o método "Soma" para encontrar o peso combinado de todos os itens em cada combinação. Usar a coluna "Weight" como cabeçalho agrega todos os valores de "kg" e selecionar a coluna "Combinations" para agrupar os dados cria uma linha para cada combinação. Repita o mesmo procedimento para encontrar os valores ("Value"). Dica de expert: Renomear campos   Uma desvantagem da ferramenta Tabela de Referência Cruzada é que ela não funciona bem com caracteres especiais em cabeçalhos, incluindo espaços. Isso significa que se você tiver um cabeçalho "a a", ele será exibido como "a_a". Sei que isso pode ser um pouco inconveniente, mas quando estávamos desenvolvendo o mecanismo do Alteryx, demos prioridade para a velocidade e eficiência em detrimento da boa aparência dos cabeçalhos. Mas não se preocupe, há uma solução totalmente viável para esse problema (mais de uma, na verdade!), que utiliza uma ferramenta fantástica chamada Renomeação Dinâmica. Geralmente, prefiro fazer isso desta forma (abra o arquivo Dica Renomeação 19.2.yxmd em anexo para ver como isso funciona na prática):       A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Tabela de Referência Cruzada! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um Blog, envie um email para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades! *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @AlexKo na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Entrada de Texto como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   Com a ferramenta Dados de Entrada, as ferramentas da categoria Conectores e a ferramenta Baixar, são muitos os dados que você pode trazer para o Designer (aprenda mais sobre a ferramenta Dados de Entrada nesta lição interativa e neste artigo do Domínio de Ferramentas). Mas e os dados inseridos manualmente? Em analytics, tentamos evitar dados inseridos por pessoas porque eles são mais propensos a erros. Apesar dos riscos, há várias situações em que isso pode ser útil no Alteryx. Aprenda a usar a ferramenta Entrada de Texto na lição interativa Inserir dados manualmente e simplifique essas situações com as técnicas abaixo:       Encontrar e substituir itens específicos nos dados (veja este exemplo em ação no anexo Entrada de Texto.yxzp)     Acrescentar dados inseridos pelo usuário  (veja este exemplo em ação no anexo Entrada de Texto.yxzp)  Observação: Você também pode utilizar a ferramenta Junção e um campo de junção condicional para estabelecer uma relação com a tabela de consulta (confira a lição interativa Combinar dados com a ferramenta Junção).     Incorporar dados da ferramenta Navegar como checkpoints no fluxo de trabalho (similar à macro Cache Dataset V2). Digamos que você esteja desenvolvendo um módulo demorado, que envolva muitas ferramentas ou uma análise mais pesada – você gosta de eficiência e não vai querer esperar vários minutos entre cada execução para ver os resultados toda vez que adicionar um grupo de ferramentas ao fluxo de trabalho. Uma solução simples? Coloque a porção do seu fluxo de trabalho que já está pronta dentro de um Contêiner. Adicione uma ferramenta Navegar após a última ferramenta do Contêiner e copie os resultados. Desabilite o contêiner e cole os resultados copiados em uma ferramenta Entrada de Texto. E feito! Não há mais a necessidade de executar todo aquele módulo! Visualize o processo abaixo:   É muito simples copiar os dados de uma ferramenta Navegar para uma Entrada de Texto! Na janela de resultados da ferramenta Navegar (veja a lição interativa Visualizar dados), copie todos os registros com cabeçalho. Depois é só clicar com o botão direito na tela do Designer e selecionar "Colar":       A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Entrada de Texto! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o   Blog da Comunidade   compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para   flavia.brancato@alteryx.com   para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da   Base de Conhecimento   para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD   na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Texto para Colunas como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:     A ferramenta Texto para Colunas é facilmente a mais utilizada da categoria Analisar, capaz de fazer uma divisão  extremamente rápida de campos delimitados (veja a lição interativa Separar dados em linhas e colunas). Para utilizá-la, você precisa apenas fornecer um campo e os delimitadores e especificar se quer separar os dados em linhas ou colunas (se selecionar colunas, é necessário especificar o número de colunas nas quais distribuir os dados). E pronto! Não importa como você quer dividir as informações, essa ferramenta pode ajudar:     Dividir em campos A ferramenta Texto para Colunas também aceita múltiplos caracteres como delimitadores, mas divide os dados cada vez que qualquer caractere aparece. Veja o fluxo de trabalho em anexo, Delimitadores.yxmd:       Utilizar entradas de ferramentas de Interface Ao utilizar ferramentas baseadas em seleção, a saída muitas vezes é uma cadeia de caracteres de todas as seleções concatenadas:     Para utilizar a saída da ferramenta Caixa de Listagem da imagem acima em seus aplicativos analíticos, basta atualizar um texto de espaço reservado em uma ferramenta Entrada de Texto conectada a uma ferramenta Ação. Depois, deixe que a ferramenta Texto para Colunas faça sua mágica! Ela divide o texto das seleções em linhas de chaves que você pode facilmente combinar de volta ao conjunto de dados de entrada usando a ferramenta Junção (aprenda a Combinar dados com a ferramenta Junção).   O resultado gerado pela ferramenta Texto para Colunas ao analisar as seleções concatenadas acima fica assim:     Agora você pode filtrar somente os itens que o usuário selecionou (Key2 = True) e combinar esses dados com o conjunto original para ver uma lista dos nomes e valores selecionados!     Para entender mais como isso funciona na prática, baixe o fluxo de trabalho em anexo Parsing_aplicativo_analítico.yxwz. Você pode abrir esse arquivo como um fluxo de trabalho comum no Designer, mas não esqueça de usar o botão de varinha ao lado do botão Executar para fazer suas próprias seleções e visualizar os resultados! A abordagem usada no aplicativo foi esta:       Inserir arquivos delimitados (CSV ou de texto) que causam problemas na leitura  Procurar palavras-chave: a ferramenta Texto para Colunas é especialmente útil ao analisar palavras-chave em textos. Com ela, você pode facilmente dividir cadeias de caracteres maiores em linhas de subcadeias com uma única palavra cada e, depois, usar a ferramenta Correspondência Parcial para fazer a correspondência das palavras-chave.   Não sabe quantas colunas você precisa especificar para dividir seu campo? Existe um truque útil para evitar especificar o número de colunas. Se você atribuir um ID de Registro e utilizar a ferramenta Bloco para contar cada ocorrência dos seus registros (que será mostrada na coluna Tile_SequenceNum), você poderá utilizar a Tabela de Referência Cruzada (confira esta lição interativa) para colocar seus dados no formato que você teria caso os dividisse em colunas. Veja esse exemplo no anexo Dividir em linhas.yxmd:       A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Texto para Colunas! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD na Comunidade em inglês
Ver artigo completo