Base de conhecimento - Português

PROGRAMA ADAPT!

Destinado às pessoas que foram afetadas profissionalmente pelo COVID-19.

CONFIRA TODOS OS DETALHES
PROGRAMA ADAPT!

Destinado às pessoas que foram afetadas profissionalmente pelo COVID-19.

CONFIRA TODOS OS DETALHES
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Texto para Colunas como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:     A ferramenta Texto para Colunas é facilmente a mais utilizada da categoria Analisar, capaz de fazer uma divisão  extremamente rápida de campos delimitados (veja a lição interativa Separar dados em linhas e colunas). Para utilizá-la, você precisa apenas fornecer um campo e os delimitadores e especificar se quer separar os dados em linhas ou colunas (se selecionar colunas, é necessário especificar o número de colunas nas quais distribuir os dados). E pronto! Não importa como você quer dividir as informações, essa ferramenta pode ajudar:     Dividir em campos A ferramenta Texto para Colunas também aceita múltiplos caracteres como delimitadores, mas divide os dados cada vez que qualquer caractere aparece. Veja o fluxo de trabalho em anexo, Delimitadores.yxmd:       Utilizar entradas de ferramentas de Interface Ao utilizar ferramentas baseadas em seleção, a saída muitas vezes é uma cadeia de caracteres de todas as seleções concatenadas:     Para utilizar a saída da ferramenta Caixa de Listagem da imagem acima em seus aplicativos analíticos, basta atualizar um texto de espaço reservado em uma ferramenta Entrada de Texto conectada a uma ferramenta Ação. Depois, deixe que a ferramenta Texto para Colunas faça sua mágica! Ela divide o texto das seleções em linhas de chaves que você pode facilmente combinar de volta ao conjunto de dados de entrada usando a ferramenta Junção (aprenda a Combinar dados com a ferramenta Junção).   O resultado gerado pela ferramenta Texto para Colunas ao analisar as seleções concatenadas acima fica assim:     Agora você pode filtrar somente os itens que o usuário selecionou (Key2 = True) e combinar esses dados com o conjunto original para ver uma lista dos nomes e valores selecionados!     Para entender mais como isso funciona na prática, baixe o fluxo de trabalho em anexo Parsing_aplicativo_analítico.yxwz. Você pode abrir esse arquivo como um fluxo de trabalho comum no Designer, mas não esqueça de usar o botão de varinha ao lado do botão Executar para fazer suas próprias seleções e visualizar os resultados! A abordagem usada no aplicativo foi esta:       Inserir arquivos delimitados (CSV ou de texto) que causam problemas na leitura  Procurar palavras-chave: a ferramenta Texto para Colunas é especialmente útil ao analisar palavras-chave em textos. Com ela, você pode facilmente dividir cadeias de caracteres maiores em linhas de subcadeias com uma única palavra cada e, depois, usar a ferramenta Correspondência Parcial para fazer a correspondência das palavras-chave.   Não sabe quantas colunas você precisa especificar para dividir seu campo? Existe um truque útil para evitar especificar o número de colunas. Se você atribuir um ID de Registro e utilizar a ferramenta Bloco para contar cada ocorrência dos seus registros (que será mostrada na coluna Tile_SequenceNum), você poderá utilizar a Tabela de Referência Cruzada (confira esta lição interativa) para colocar seus dados no formato que você teria caso os dividisse em colunas. Veja esse exemplo no anexo Dividir em linhas.yxmd:       A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Texto para Colunas! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Entrada de Texto como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   Com a ferramenta Dados de Entrada, as ferramentas da categoria Conectores e a ferramenta Baixar, são muitos os dados que você pode trazer para o Designer (aprenda mais sobre a ferramenta Dados de Entrada nesta lição interativa e neste artigo do Domínio de Ferramentas). Mas e os dados inseridos manualmente? Em analytics, tentamos evitar dados inseridos por pessoas porque eles são mais propensos a erros. Apesar dos riscos, há várias situações em que isso pode ser útil no Alteryx. Aprenda a usar a ferramenta Entrada de Texto na lição interativa Inserir dados manualmente e simplifique essas situações com as técnicas abaixo:       Encontrar e substituir itens específicos nos dados (veja este exemplo em ação no anexo Entrada de Texto.yxzp)     Acrescentar dados inseridos pelo usuário  (veja este exemplo em ação no anexo Entrada de Texto.yxzp)  Observação: Você também pode utilizar a ferramenta Junção e um campo de junção condicional para estabelecer uma relação com a tabela de consulta (confira a lição interativa Combinar dados com a ferramenta Junção).     Incorporar dados da ferramenta Navegar como checkpoints no fluxo de trabalho (similar à macro Cache Dataset V2). Digamos que você esteja desenvolvendo um módulo demorado, que envolva muitas ferramentas ou uma análise mais pesada – você gosta de eficiência e não vai querer esperar vários minutos entre cada execução para ver os resultados toda vez que adicionar um grupo de ferramentas ao fluxo de trabalho. Uma solução simples? Coloque a porção do seu fluxo de trabalho que já está pronta dentro de um Contêiner. Adicione uma ferramenta Navegar após a última ferramenta do Contêiner e copie os resultados. Desabilite o contêiner e cole os resultados copiados em uma ferramenta Entrada de Texto. E feito! Não há mais a necessidade de executar todo aquele módulo! Visualize o processo abaixo:   É muito simples copiar os dados de uma ferramenta Navegar para uma Entrada de Texto! Na janela de resultados da ferramenta Navegar (veja a lição interativa Visualizar dados), copie todos os registros com cabeçalho. Depois é só clicar com o botão direito na tela do Designer e selecionar "Colar":       A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Entrada de Texto! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o   Blog da Comunidade   compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para   flavia.brancato@alteryx.com   para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da   Base de Conhecimento   para ser notificado das novidades!   *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @MattD   na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Tabela de Referência Cruzada como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   Às vezes você olha para a quantidade enorme de dados à sua frente e se pergunta como poderá organizá-los. Todas as opções parecem exigir uma grande quantidade de trabalho manual e, sendo o profissional em combinação de dados que você é, isso é algo que você não precisa tolerar!   Situações como essa requerem mudanças drásticas. Não existe nada melhor para isso do que a Tabela de Referência Cruzada, uma ferramenta poderosa que possibilita remodelar os seus dados do jeito que você quiser, permitindo abordar o seu problema de um novo ângulo. Neste artigo, vou apresentar alguns casos de uso para mostrar como você pode aproveitar essa ferramenta incrível. Você pode aprender mais sobre as configurações básicas na aula interativa Mudar o layout dos dados. Se quiser acompanhar de perto os fluxos de trabalho mostrados abaixo, abra o arquivo Casos de Uso 19.2.yxzp em anexo.   Caso de uso 1: Facilitar a extração de dados dinâmicos por meio da atribuição de grupos   Os dados? Você recebe uma lista que se parece com o campo "Field_1" abaixo. O PMID é o número identificador (ID) de um artigo médico em um banco de dados. Cada FAU se refere a um autor no artigo. Um artigo pode ter qualquer número de autores.       O objetivo? Uma tabela com números de ID no primeiro campo e colunas correspondentes para autores.       Como? Prepare os dados filtrando e separando o identificador. A terceira coluna acima, "Field_12", mostra os dados utilizáveis. Use uma Fórmula de Múltiplas Linhas para identificar a coluna de ID e as colunas de autor exclusivamente. Nesse caso, cada número de ID é representado por "0" e os autores são contados de zero até que se atinja outro ID. Veja a coluna "Headers" (cabeçalhos). Use outra Fórmula de múltiplas linhas para associar cada grupo de cabeçalhos entre si. Estamos criando basicamente um ID de registro - cada ID de registro identifica um único artigo na base de dados.  Veja a coluna "Groups" acima. Tabela de Referência Cruzada! Ao utilizar essas colunas de identificação, você pode girar os seus dados de maneira que cada um dos cabeçalhos crie uma coluna e cada um dos grupos crie uma linha. Veja a janela de configuração na primeira imagem acima.   Caso de uso 2: Realizar cálculos dinamicamente para qualquer quantidade de campos   Os dados? Um punhado de campos numéricos, ilustrados abaixo. Eles são agrupados por categoria (campo "Category") e você adicionou um identificador exclusivo para cada registro (campo "RecordID").       O objetivo? Médias móveis para cada coluna dentro de sua respectiva categoria.       Como? Em vez de gerar uma Fórmula de Múltiplas Linhas para cada coluna, utilize a ferramenta Transpor para passar tudo para uma única coluna. Na seção Colunas-chave , marque “RecordID” e “Category.” Veja a janela de configuração na primeira imagem. O resultado é a saída abaixo. Embora trabalhar com esses dados possa parecer ainda mais difícil agora, isso permite que você calcule a média móvel de uma só vez. Utilize a ferramenta Fórmula de Múltiplas Linhas para calcular uma média. Você pode facilmente evitar selecionar os valores errados utilizando a opção Agrupar por - marque “Category” e “Name”. Defina também a opção Valores para linhas que não existem para a linha válida mais próxima.   Reestruture os dados utilizando a Tabela de Referência Cruzada! (Agrupe por “RecordID”, selecione o campo “Name” para os cabeçalhos e o campo “r3” para os valores.)    Caso de uso 3: Simplificar uma lógica complicada com as metodologias da Tabela de Referência Cruzada   Os dados? Você tem uma lista de todas as combinações possíveis de 5 itens. Para cada combinação, um número de linhas correspondente ao número de itens traz o peso e o valor de cada item - isto é, a combinação 123 está representada três vezes, com informações para o item1, item2 e item3.   O objetivo? Você deseja otimizar a sua seleção de itens para atender a determinados critérios, como peso mínimo e valor máximo.   Como? Utilize uma ferramenta Fórmula para adicionar uma coluna para o peso, conforme mostrado na primeira imagem (coluna "Weight"). Utilize a Tabela de Referência Cruzada com o método "Soma" para encontrar o peso combinado de todos os itens em cada combinação. Usar a coluna "Weight" como cabeçalho agrega todos os valores de "kg" e selecionar a coluna "Combinations" para agrupar os dados cria uma linha para cada combinação. Repita o mesmo procedimento para encontrar os valores ("Value"). Dica de expert: Renomear campos   Uma desvantagem da ferramenta Tabela de Referência Cruzada é que ela não funciona bem com caracteres especiais em cabeçalhos, incluindo espaços. Isso significa que se você tiver um cabeçalho "a a", ele será exibido como "a_a". Sei que isso pode ser um pouco inconveniente, mas quando estávamos desenvolvendo o mecanismo do Alteryx, demos prioridade para a velocidade e eficiência em detrimento da boa aparência dos cabeçalhos. Mas não se preocupe, há uma solução totalmente viável para esse problema (mais de uma, na verdade!), que utiliza uma ferramenta fantástica chamada Renomeação Dinâmica. Geralmente, prefiro fazer isso desta forma (abra o arquivo Dica Renomeação 19.2.yxmd em anexo para ver como isso funciona na prática):       A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Tabela de Referência Cruzada! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o Blog da Comunidade compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um Blog, envie um email para flavia.brancato@alteryx.com para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da Base de Conhecimento para ser notificado das novidades! *Este texto é uma adaptação do artigo original escrito por @AlexKo na Comunidade em inglês
Ver artigo completo
Este artigo faz parte da série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de Conhecimento para apresentar diversos exemplos para as ferramentas do Designer. Vamos nos aprofundar nos usos da ferramenta Sumarizar como parte da nossa jornada para dominar o Alteryx Designer:   Você sabia que uma partida de futebol americano dura em média 3 horas e 12 minutos, mas desse tempo são jogados somente 11 minutos em média? Apesar de adorar comer um monte de Doritos enquanto assisto todos aqueles intervalos comerciais, o que realmente me interessa são os destaques do jogo. A ferramenta Sumarizar provavelmente concordaria que a maneira mais efetiva de comunicar os seus dados está no resumo mais conciso possível. Seja concatenando cadeias de caracteres para armazenamento, mesclando relatórios para uma leitura mais fácil, combinando objetos espaciais ou calculando médias e outras fórmulas em agrupamentos de dados, a ferramenta Sumarizar pode reestruturar os seus dados para torná-los mais informativos (dê uma olhada nesta lição interativa). Este artigo fornece alguns exemplos de como fazer isso.   A ferramenta Sumarizar é útil para quase todos os tipos de dados: numéricos, cadeias de caracteres, objetos espaciais, perfis comportamentais e até mesmo elementos de relatórios. Apenas para citar algumas ações (a lista completa dos processos de sumarização pode ser encontrada aqui), dados numéricos podem ser somados, convertidos em percentis ou utilizados para calcular desvio padrão e média. Eles também podem ser utilizados em diversos cálculos financeiros. É fácil concatenar cadeias de caracteres com o delimitador que você escolher ou identificar quais são as cadeias mais longas ou mais curtas em um agrupamento. Se você tem talento para dados espaciais, pode utilizar as ações de geografia para combinar objetos espaciais ou utilizá-los para criar interseções, retângulos delimitadores, envoltórias convexas e centroides.  Embora não seja obrigatório, todas essas ações podem ser aplicadas separadamente a grupos de registros que você especifica em seus dados. Para fazer isso, primeiro utilize a ação “Agrupar por” em um ou mais campos. Isso faz com que as ações subsequentes sejam aplicadas separadamente a grupos de registros que compartilham o mesmo valor no(s) campo(s) escolhido(s) para o agrupamento. Você pode até mesmo utilizar essa ferramenta para contar quantos registros existem em cada grupo e identificar valores mínimos e máximos. Para a sua referência, anexamos o fluxo de trabalho Ferramenta Sumarizar.yxzp que demonstra usos para alguns tipo de dados que a ferramenta Sumarizar é capaz de transformar:   Se você gosta da granularidade das informações que os seus dados sumarizados fornecem, mas quer que eles apareçam junto com os dados originais, você pode combiná-los com a ferramenta Junção. Para isso, use o mesmo campo que você selecionou para "Agrupar por" como o campo de junção (não esqueça de desmarcar os campos redundantes na janela de configuração da ferramenta Junção!). O fluxo de trabalho Agregar e Reformatar.yxzp em anexo demonstra um exemplo disso (veja a adição do campo "Contagem por Segmento” abaixo):   A ferramenta Sumarizar também pode ser utilizada para reestruturar seus dados – de maneira muito parecida com outra ferramenta da categoria Transformação, a Tabela de Referência Cruzada. Assim, linhas que foram concatenadas podem ser facilmente convertidas em colunas com a ferramenta Texto para Colunas. O anexo Agregar e Reformatar.yxzp demonstra essa reestruturação: Por fim, se você adora usar a ferramenta Sumarizar, mas acaba gastando muito tempo renomeando os campos depois que ela adiciona prefixos para cada ação (você é exigente, nós sabemos, é por isso que você usa o Alteryx), tente removê-los de uma só vez usando a abordagem mostrada no fluxo de trabalho em anexo Cortar prefixos de sumarização.yxzp:     Se quiser aprender passo a passo como usar as ferramentas citadas neste artigo, não deixe de fazer as lições interativas da Academia Alteryx: Sumarizar dados Combinar dados com a ferramenta Junção Mudar o layout dos dados com a ferramenta Tabela de Referência Cruzada Separar dados em linhas e colunas com a ferramenta Texto para Colunas   A esta altura, você já deve ter a proficiência de um expert na ferramenta Sumarizar! Agora, se você já é um especialista em outras ferramentas do Designer, contribua para o   Blog da Comunidade   compartilhando suas experiências e nos contando como e para que você usa as nossas ferramentas no seu dia a dia. Se tiver interesse em contribuir com um blog, envie um e-mail para   flavia.brancato@alteryx.com   para ter acesso à seção.   Toda segunda-feira vamos trazer uma ferramenta nova para a nossa seleção. Com isso, adoraríamos saber qual é a sua favorita ou qual ferramenta você gostaria de ver aqui na Comunidade na próxima semana. Não esqueça de se inscrever no painel da   Base de Conhecimento   para ser notificado das novidades!
Ver artigo completo
Se estiver interessado em executar o Alteryx no seu Mac, dê uma olhada nas sugestões a seguir.  Não se esqueça que, no momento, o Alteryx não é oficialmente compatível, mas, por entendermos que temos clientes com essa necessidade, gostaríamos de ser proativos sobre os benefícios e as deficiências da execução do Alteryx em um Mac por meio de ambiente virtual.   Embora o Alteryx seja nativo do Windows, há duas maneiras de instalar o Alteryx em um Mac. 1) Utilize o BootCamp – Integrado ao OSX. 2) Utilize um produto de máquina virtual (emula o Windows no OSX) – VMWare ou Parallels, dentre outros.   BootCamp - Prós · Acesso completo ao hardware para necessidades mais pesadas de CPU (o Alteryx será executado mais rapidamente na Configuração de BootCamp). · Gratuito, incluído em todos os Macs novos. · Facilidade de configuração no Mac para partição BootCamp.     BootCamp - Contras · Mais "geek", exige mais conhecimento e habilidades com computadores. · É necessário inicializar no OSX ou no Windows durante a inicialização mantendo a tecla de opção pressionada (para alternar se outro estiver configurado para iniciar primeiro). · Pega malware como um PC, difícil de erradicar, pode afetar o OSX. · É necessário manter a partição do OSX na unidade para atualizações, firmware, reparos. · Mais difícil de consertar e reparar do que um PC genérico para o qual o software de terceiros para Windows foi projetado. · Tem suporte apenas para o Windows 7 (a versão recente do OSX também tem suporte para o Windows 8).   Software de máquina virtual - Prós . Executa o SO convidado em uma janela no OSX, mais fácil para usuários novos e para aqueles que ainda não estão seguros. . Fácil de alternar do OSX para o Windows para o Linux de um lado para o outro, até quantos sistemas operacionais sua RAM puder suportar. . As versões comerciais do software da VM podem copiar o BootCamp atualmente instalado e utilizar esse Windows no OSX para obter o melhor das versões da máquina virtual E do BootCamp. . Mais fácil de utilizar, os "instantâneos" do estado do SO convidado podem ser revertidos em segundos para atualizações/problemas de malware. . Executa a maioria das versões de SO, Windows XP, Vista, 7, 8, Linux e edições OSX Server apenas (VMed Lion em Lion, ok). . Execute mais de um SO convidado ao mesmo tempo com RAM e espaço em disco suficientes. . Mais fácil de usar para a maioria dos programas de SO convidado leves, sem necessidade de inicialização dupla, execute o SO convidado como um arquivo em um programa. . Algumas possibilidades de integração, copiar e colar, pastas compartilhadas etc. entre os dois ou mais SOs. . Mais fácil de escapar de problemas por meio do software da máquina virtual ou do "Forçar encerramento" do OSX.   Software de máquina virtual - Contras . O SO convidado não tem acesso ao hardware, sem Direct X, animação 3D limitada/lenta aprox. 1/5 da velocidade como inicialização nativa, realmente só mostra jogos 3D etc. . Exige mais RAM, máquina mais potente: mais de 4 núcleos, mais de 4GB de RAM, de preferência placa de vídeo dedicada. (2 núcleos de 2GB de RAM possível, mas não recomendado). . É necessário compartilhar RAM e núcleos com o OSX. . Não é possível executar as versões OSX Client (exceto Lion em Lion), pois a Apple assim solicitou. Gostaria de agradecer David Sommers por sua ajuda na elaboração desta diretriz! Até a próxima! Chad Siga-me no Twitter! @AlteryxChad  
Ver artigo completo
Neste artigo, veremos como aproveitar uma macro de lote para ler múltiplas planilhas de múltiplos arquivos do Excel usando a versão 10.0 do Designer. Os dois arquivos do Excel usados no exemplo são chamados Fruits e Vegetables, com planilhas chamadas Apples, Oranges, Broccoli e Spinach, respectivamente.   O primeiro passo será ler a lista de nomes das planilhas de um dos arquivos do Excel usando uma ferramenta Dados de entrada. Esse é um novo recurso da versão 10.0 e é um excelente contributo quando usado em conjunto com a ferramenta Entrada dinâmica.   Podemos, então, conectar nossa ferramenta Dados de entrada da etapa anterior a uma ferramenta Entrada dinâmica. Na configuração, utilize o mesmo arquivo do Excel usado como modelo de fonte para a ferramenta Dados de entrada. Podemos utilizar o campo "Sheet Names" (Nomes das Planilhas) da nossa ferramenta Dados de entrada como a Lista de fontes de dados e nossa ação será Alterar nome do arquivo/tabela.   Agora estamos prontos para adicionar nossas ferramentas de Interface à tela. Arraste uma ferramenta Parâmetro de controle, duas ferramentas Ação e uma Saída de macro. Conecte o Parâmetro de controle às duas ferramentas Ação e, em seguida, conecte-as à Dados de entrada e à Entrada dinâmica. A Saída de macro será conectada à âncora de saída da Entrada dinâmica.   Na configuração da nossa ferramenta Ação, o tipo de ação será Atualizar valor. Queremos atualizar o Arquivo – valor que está sendo passado para as ferramentas Dados de entrada e Entrada dinâmica. No entanto, precisaremos atualizar apenas a parte da cadeia de caracteres sem o nome da planilha, motivo pelo qual também selecionaremos Substituir uma cadeia de caracteres específica: isso permitirá que nosso processo aconteça em lote para vários arquivos.   Por fim, se nossos arquivos do Excel tiverem esquemas diferentes, podemos ajustar, no Interface Designer, a macro para Configurar automaticamente por nome ou posição, para que nosso fluxo de trabalho não gere erros. Observação: as planilhas dentro de um mesmo arquivo deverão ter o mesmo esquema. Agora estamos prontos para salvar a macro e colocá-la em uso!   Agora, em uma nova tela, podemos colocar uma ferramenta Diretório (se todos os seus arquivos do Excel estiverem em um só diretório) ou podemos utilizar uma Entrada de texto para inserir manualmente cada local de caminho de arquivo individual. Após a ferramenta Diretório ou Entrada de texto, insira sua macro (clique com o botão direito do mouse na tela->inserir->macro) e escolha o caminho completo (FullPath) na configuração da macro. Adicione uma ferramenta Navegar, aperte executar e veja os resultados!     Agora podemos ler múltiplas planilhas do Excel contidas em múltiplos arquivos do Excel!   O pacote de fluxo de trabalho anexo inclui um fluxo de trabalho, uma macro de lote e arquivos do Excel criados no Alteryx v.10.0   Tony Moses Representante de Assistência ao Cliente  
Ver artigo completo
Frequentemente, ao importar dados para o Alteryx, muitos usuários adicionam uma ferramenta Selecionar para verificar o tipo e a estrutura dos dados. Os tipos dos dados são muito importantes, pois as operações/funções disponíveis nas ferramentas podem ser ajustadas para se adaptarem ao tipo de dados que está sendo utilizado!   Por exemplo, ao utilizar a ferramenta Filtrar básica, um campo de cadeia de caracteres será preenchido com operadores de cadeia de caracteres, como "Igual a" ou "Contém", enquanto um campo numérico terá operadores como ">=" ou "É nulo".   Como verificar/alterar seus tipos de dados?   Ferramenta Campo automático      Utilize a ferramenta Campo automático para avaliar seu conjunto de dados em cada execução e deixe que o Alteryx decida qual deve ser o tipo e o tamanho. À medida que seus dados forem alterados, a ferramenta Campo automático ajustará o tipo e o tamanho definidos. Isso é especialmente útil para acelerar o processamento de dados porque o Alteryx procurará atribuir o tamanho e o tipo de dados mais eficientes. Essa ferramenta não é perfeita e, em alguns casos, é possível que você não queira que o Alteryx decida. Por exemplo, um campo de CEP será exibido para o Alteryx como números e o Alteryx o definirá como um tipo de número, fazendo com que você perca todos os zeros no início dos CEPs de Massachusetts. Nesse caso, seria melhor utilizar uma ferramenta Selecionar.   Ferramenta Selecionar     Com a utilização da ferramenta Selecionar, o Alteryx não avalia os dados e os dados que não se ajustarem ao novo tipo especificado serão substituídos por [Null]. Ao decidir sobre o tamanho do campo, certifique-se de que você sabe o comprimento da cadeia de caracteres, pois ela será truncada se exceder o comprimento especificado. Para os tipos numéricos, o tamanho não é configurável, mas é possível usar o decimal fixo (FixedDecimal) se desejar precisão. Os dados muito longos são arredondados (normalmente para 6 casas decimais).     Os decimais fixos são a exceção - você utiliza o formato de comprimento do número e um ponto seguido pelo número de casas decimais.   O que acontece quando importo meus dados para o Alteryx? Os tipos de dados são aplicados a toda a coluna/campo e a cada valor dentro dessa coluna. O Alteryx irá mapear automaticamente os tipos recebidos de bases de dados e arquivos estruturados (Excel) e definir o melhor tipo dentro de uma tabela do Alteryx.   Tipos de dados de cadeias de caracteres As cadeias de caracteres são tudo aquilo que você quer manter como está. Uma cadeia de caracteres (String) é qualquer combinação de caracteres, alfanuméricos e símbolos. Você também utilizará um tipo String se o campo for de valores mistos, com números em uma célula e palavras em outra. String e Wstring têm comprimentos definidos. Os tipos V_string são variáveis em comprimento. A quantidade de memória reservada para processamento varia. Wstring captará caracteres internacionais, como japonês ou chinês. V_String é vantajoso porque é flexível o suficiente para não truncar os campos, mas também maximizará o tempo de processamento devido ao ajuste do comprimento das cadeias de caracteres.   Tipos de dados numéricos Números ou campos numéricos contêm apenas números. TENHA CUIDADO com tipos de campos numéricos e valores com zeros à esquerda (como 01 - o zero é descartado e o número aparecerá apenas como 1). Tenha isso em mente se estiver trabalhando com CEPs. Byte é um número inteiro pequeno. Integer é um número inteiro em que 16, 32 e 64 são o tamanho do número (números maiores precisam de mais espaço). FixedDecimal é normalmente utilizado para valores monetários, no entanto, você deve ficar atento a números que serão usados em cálculos e acumulados. Float e Double são os números mais precisos, porém, eles não são bons para comparação quando você está tentando ver se um valor é igual a outro.   Tipos de dados de data e hora O formato de data e hora do Alteryx é específico e pode exigir alguma manipulação nos dados para que fiquem no formato do Alteryx e seja possível utilizar as funções de data e hora em uma ferramenta Fórmula. Os formatos são: Date – AAAA-MM-DD Date Time: AAAA-MM-DD HH:MM:SS Time: HH:MM:SS   Às vezes pode ser difícil trabalhar com datas; por isso, temos algumas ferramentas excelentes que podem ser utilizadas para colocar seus campos de data no formato do Alteryx.   Macro DataHora A ferramenta DataHora transforma dados de data/hora de e para uma variedade de formatos, incluindo formatos que podem ser usados em expressões e que sejam legíveis por humanos. @AlexKo Macro Analisar datas Com o peso de 55 ferramentas do Alteryx, essa macro está chegando entre as 5 mais baixadas do Alteryx Gallery. Esta macro irá evitar muitas dores de cabeça durante a análise de datas e tornar o trabalho com datas divertido! Tipos de dados booleanos Booleano significa simplesmente verdadeiro ou falso e é útil para sinalizar dados. Sinalizador condicional, em que 1 = verdadeiro e 0 = falso   Tipos de dados de objetos geográficos Objetos geográficos são objetos espaciais como centroides e polígonos utilizados para mapeamento. O Alteryx pode importar objetos geográficos de tipos de arquivos de dados como osESRI Shapefiles. Contudo, se você tiver uma latitude e uma longitude no Excel, é possível utilizar nossa ferramenta Criar pontos para criar objetos geográficos no Alteryx. Se desejar obter mais informações sobre tipos de dados, consulte nossa Ajuda do Alteryx  
Ver artigo completo