comunidade
cancelar
Mostrando resultados para 
Pesquisar então 
Você quer dizer: 

Base de conhecimento - Português

We will be upgrading the Gallery to our 2019.4 release this Saturday, December 7th beginning at 9:00am MT. We expect the outage to take last approx. 2.5 hours.
Recentemente, recebemos várias perguntas relacionadas a certificados SSL, como instalá-los e como configurar o Alteryx Server para utilizá-los. Embora o Guia de instalação e configuração do Alteryx Server aborde como habilitar SSL para o Alteryx Server, esse guia não trata de como obter um certificado nem de como instalá-lo para que possa ser utilizado pelo Server.   Existem várias ferramentas e métodos que você pode utilizar para obter um certificado SSL para usar com o Alteryx Server.  Neste artigo, nos concentraremos em como utilizar o OpenSSL para criar uma Solicitação de assinatura de certificado (CSR) para enviar a uma Autoridade de certificação (CA), gerar um certificado autoassinado, instalar o certificado e configurar o Alteryx Server para usar o certificado.   Observação: se você não tiver o OpenSSL instalado em seu servidor, é possível baixar um binário pré-compilado do Win32 ou Win64 em https://slproweb.com/products/Win32OpenSSL.html. Lembre-se que o OpenSSL não é desenvolvido ou mantido pela Alteryx. Não temos nenhuma afiliação com o projeto OpenSSL ou com o fornecedor desse binário pré-compilado. Assim, fique à vontade para usar qualquer implementação do OpenSSL com a qual se sinta confortável.   Criar uma Solicitação de assinatura de certificado com o OpenSSL:   Para gerar uma CSR, abra um prompt de comando de administrador no seu servidor e navegue até o diretório que contém o OpenSSL.exe e o arquivo de configuração. De lá, execute o seguinte comando:   openssl.exe req -config openssl.cfg -out NomedoServidor.csr -new -newkey rsa:2048 -nodes -keyout NomedoServidor.key   Você será solicitado a responder algumas perguntas relacionadas à sua organização e ao servidor. Você pode utilizar a captura de tela abaixo para referência, mas lembre-se de que as respostas devem ser baseadas nas informações da sua organização e do seu servidor.     Esse comando criará dois arquivos no mesmo diretório com extensão .csr e .key. É preciso apresentar esses arquivos à sua CA para que seu certificado seja criado. Pode ser tanto uma CA interna quanto pública, como Verisign, GeoTrust, DigiCert, Entrust, StartCom etc. A CA fornecerá a você um certificado assinado como um arquivo .crt, .cer, .pem ou .pfx.   Criar um certificado autoassinado com o OpenSSL:   Você também pode utilizar o OpenSSL para gerar um certificado autoassinado. Embora isso não seja recomendado para ambientes de produção, existem diversas razões pelas quais se desejaria criar um. Entre elas, ambientes de desenvolvimento ou de laboratório e testes para confirmar a funcionalidade antes da compra de um certificado de uma CA pública. Independentemente da razão, é possível fazer isso com o seguinte procedimento:   Abra um prompt de comando de administrador e navegue até seu diretório do OpenSSL. De lá, execute estes comandos:   openssl.exe req -config openssl.cfg -x509 -sha256 -nodes -days 365 -newkey rsa:2048 -keyout NomedoServidor.key -out NomedoServidor.crt openssl.exe pkcs12 -export -out NomedoServidor.pfx -inkey NomedoServidor.key -in NomedoServidor.crt   O primeiro comando gera um certificado assinado (arquivo .crt) e uma chave privada (arquivo .key). O segundo comando cria um arquivo combinado de certificado e chave em formato .pfx a partir do certificado e da chave gerados. Tenha em mente que você será solicitado a responder as mesmas perguntas ou perguntas semelhantes que se estivesse gerando uma CSR. Veja as capturas de tela abaixo:       Observação: como mencionado anteriormente, não recomendamos o uso de certificados autoassinados em ambientes de produção.   Instalar o certificado:   Após receber o certificado assinado da CA ou gerar um certificado autoassinado, é preciso instalá-lo. Para instalar o certificado, é necessário abrir um Console de Gerenciamento Microsoft (MMC) para acessar o snap-in de certificados seguindo estas etapas:   Clique em Iniciar e, em seguida, em Executar. Na linha de comando, digite MMC e clique em OK. No Console de Gerenciamento Microsoft (MMC), no menu Arquivo, clique em Adicionar/Remover snap-in. Na caixa de diálogo Adicionar/Remover snap-in, clique em Adicionar. Na caixa de diálogo Adicionar snap-in autônomo, selecione Certificados e clique em Adicionar. Na caixa de diálogo Snap-in de certificados, selecione o botão de opção Conta do computador, pois o certificado precisa estar disponível para todos os usuários, e clique em Avançar. Na caixa de diálogo Selecionar computador, deixe selecionado Computador local: (o computador no qual este console está sendo executado) e clique em Finalizar. Na caixa de diálogo Adicionar snap-in autônomo, clique em Fechar. Na caixa de diálogo Adicionar/Remover snap-in, clique em OK.   O próximo passo é importar de fato o certificado. Para fazer isso:   Expandir certificados > Pessoal Clique com o botão direito do mouse em certificados em Pessoal. Selecione Todas as tarefas > Importar.     Isso abrirá o assistente de importação de certificados.     Clique em Avançar       Navegue até o arquivo de certificados fornecido pela CA ou o arquivo pfx gerado pelas instruções de autoassinatura. Clique em Avançar   Se estiver utilizando um certificado autoassinado ou se a CA tiver emitido um certificado que inclui a chave privada, a senha será solicitada. Caso contrário, essa etapa será ignorada pelo assistente de importação.     Digite a senha Marque a caixa para sinalizar essa chave como exportável Clique em Avançar   A próxima tela pedirá para confirmar o local onde deseja colocar o certificado. O repositório de certificados já deve estar definido como "Pessoal".      Se necessário, defina o repositório de certificados como Pessoal Clique em Avançar Na próxima tela, clique em Concluído.   Se estiver instalando um certificado autoassinado, é necessário repetir esses passos para definir o servidor local como uma autoridade confiável. Para fazer isso, instale o certificado uma segunda vez seguindo os mesmos passos acima. Porém, desta vez, instale-o no repositório das Autoridades de Certificação de raiz confiáveis, em vez do repositório Pessoal. É possível expandir as Autoridades de Certificação de raiz confiáveis clicando com o botão direito do mouse em certificados e escolhendo Todas as tarefas > Importar, ou alterando o repositório de certificados ao final do assistente de importação.       Configurar o Alteryx Server para utilizar o certificado:   Neste ponto, você pode seguir as instruções detalhadas do Guia de instalação e configuração do Alteryx Server para concluir a configuração. Como alternativa, você pode seguir com estas instruções simplificadas.   Primeiro é necessário coletar a impressão digital do certificado que foi instalado. É possível fazer isso em MMC > Certificados > Pessoal > Certificados, clicando com o botão direito do mouse no certificado instalado e selecionando Abrir. Isso abrirá um diálogo de certificado para o certificado instalado. Selecione a guia Detalhes e encontre o campo Impressão digital. Copie o valor e remova todos os espaços (por exemplo, 74d4ca722e2954cd225f9b4697d2fc7f6747194c)     Em seguida, é necessário vincular a porta http 443 ao certificado. Para isso, abra novamente seu prompt de comando de administrador. Execute o comando a seguir, certificando-se de substituir o certhash pelo valor de impressão digital capturado:   netsh http add sslcert ipport=0.0.0.0:443 certhash=‎74d4ca722e2954cd225f9b4697d2fc7f6747194c appid={eea9431a-a3d4-4c9b-9f9a-b83916c11c67}     Para verificar se a vinculação está correta, você pode executar o seguinte comando:   netsh http show sslcert       Observação: ao renovar um certificado expirado ou prestes a expirar, é necessário excluir a vinculação atual (netsh http delete sslcert ipport=0.0.0.0:443), capturar a impressão digital do novo certificado e vincular novamente o certificado utilizando as instruções acima.   Para a etapa final, é necessário configurar o serviço do Gallery para usar o SSL. Para isso, abra as Configurações de sistema do Alteryx e clique em Avançar até chegar ao Gallery > Geral. Assim que estiver lá, encontre a seção Endereço básico e marque a caixa para Habilitar SSL. Em seguida, clique em Avançar, Finalizado ou Concluído, conforme apropriado, para aplicar as alterações de configuração e reiniciar o serviço Alteryx.     Observação: o URL também deve coincidir com o nome para o qual o certificado foi emitido. Assim, se o certificado foi emitido para o nome de domínio totalmente qualificado do servidor (por exemplo, hostname.domain.tld), seu URL deve coincidir com isso utilizando https://hostname.domain.tld/gallery/. Se o certificado foi emitido apenas para o nome do host, é necessário utilizar https://hostname/gallery/. Se não houver correspondência entre o URL e o certificado, o serviço não será iniciado corretamente.       Versões aplicáveis: Alteryx Server 10.0 e 10.1 Créditos:
Ver artigo completo
Este artigo é um guia de como instalar uma macro, para que ela possa ser acessada a partir da paleta de ferramentas no Designer.    Baixe ou salve uma macro em um diretório Abra o Alteryx Designer Clique em Opções > Configurações de usuário > Editar configurações de usuário Clique na guia Macros dentro da janela Configurações do usuário Clique no ícone + e selecione o diretório utilizado para salvar sua(s) macro(s) Digite um Nome da categoria para o diretório aparecer como no Designer Clique em OK A(s) macro(s) aparecerá(ão) agora na categoria especificada Pontos a considerar:       - todas as macros dentro da pasta especificada serão instaladas       - a categoria especificada na macro Metainformações terá prioridade sobre o Nome da categoria especificado na etapa 6:     Dica adicional: Uma macro pode ser adicionada a um fluxo de trabalho sem instalá-la.  Para isso, clique com o botão direito do mouse em uma parte em branco do seu fluxo de trabalho, selecione Inserir > Macro... e navegue até o local da macro que deseja inserir.
Ver artigo completo
Frequentemente, ao importar dados para o Alteryx, muitos usuários adicionam uma ferramenta Selecionar para verificar o tipo e a estrutura dos dados. Os tipos dos dados são muito importantes, pois as operações/funções disponíveis nas ferramentas podem ser ajustadas para se adaptarem ao tipo de dados que está sendo utilizado!   Por exemplo, ao utilizar a ferramenta Filtrar básica, um campo de cadeia de caracteres será preenchido com operadores de cadeia de caracteres, como "Igual a" ou "Contém", enquanto um campo numérico terá operadores como ">=" ou "É nulo".   Como verificar/alterar seus tipos de dados?   Ferramenta Campo automático      Utilize a ferramenta Campo automático para avaliar seu conjunto de dados em cada execução e deixe que o Alteryx decida qual deve ser o tipo e o tamanho. À medida que seus dados forem alterados, a ferramenta Campo automático ajustará o tipo e o tamanho definidos. Isso é especialmente útil para acelerar o processamento de dados porque o Alteryx procurará atribuir o tamanho e o tipo de dados mais eficientes. Essa ferramenta não é perfeita e, em alguns casos, é possível que você não queira que o Alteryx decida. Por exemplo, um campo de CEP será exibido para o Alteryx como números e o Alteryx o definirá como um tipo de número, fazendo com que você perca todos os zeros no início dos CEPs de Massachusetts. Nesse caso, seria melhor utilizar uma ferramenta Selecionar.   Ferramenta Selecionar     Com a utilização da ferramenta Selecionar, o Alteryx não avalia os dados e os dados que não se ajustarem ao novo tipo especificado serão substituídos por [Null]. Ao decidir sobre o tamanho do campo, certifique-se de que você sabe o comprimento da cadeia de caracteres, pois ela será truncada se exceder o comprimento especificado. Para os tipos numéricos, o tamanho não é configurável, mas é possível usar o decimal fixo (FixedDecimal) se desejar precisão. Os dados muito longos são arredondados (normalmente para 6 casas decimais).     Os decimais fixos são a exceção - você utiliza o formato de comprimento do número e um ponto seguido pelo número de casas decimais.   O que acontece quando importo meus dados para o Alteryx? Os tipos de dados são aplicados a toda a coluna/campo e a cada valor dentro dessa coluna. O Alteryx irá mapear automaticamente os tipos recebidos de bases de dados e arquivos estruturados (Excel) e definir o melhor tipo dentro de uma tabela do Alteryx.   Tipos de dados de cadeias de caracteres As cadeias de caracteres são tudo aquilo que você quer manter como está. Uma cadeia de caracteres (String) é qualquer combinação de caracteres, alfanuméricos e símbolos. Você também utilizará um tipo String se o campo for de valores mistos, com números em uma célula e palavras em outra. String e Wstring têm comprimentos definidos. Os tipos V_string são variáveis em comprimento. A quantidade de memória reservada para processamento varia. Wstring captará caracteres internacionais, como japonês ou chinês. V_String é vantajoso porque é flexível o suficiente para não truncar os campos, mas também maximizará o tempo de processamento devido ao ajuste do comprimento das cadeias de caracteres.   Tipos de dados numéricos Números ou campos numéricos contêm apenas números. TENHA CUIDADO com tipos de campos numéricos e valores com zeros à esquerda (como 01 - o zero é descartado e o número aparecerá apenas como 1). Tenha isso em mente se estiver trabalhando com CEPs. Byte é um número inteiro pequeno. Integer é um número inteiro em que 16, 32 e 64 são o tamanho do número (números maiores precisam de mais espaço). FixedDecimal é normalmente utilizado para valores monetários, no entanto, você deve ficar atento a números que serão usados em cálculos e acumulados. Float e Double são os números mais precisos, porém, eles não são bons para comparação quando você está tentando ver se um valor é igual a outro.   Tipos de dados de data e hora O formato de data e hora do Alteryx é específico e pode exigir alguma manipulação nos dados para que fiquem no formato do Alteryx e seja possível utilizar as funções de data e hora em uma ferramenta Fórmula. Os formatos são: Date – AAAA-MM-DD Date Time: AAAA-MM-DD HH:MM:SS Time: HH:MM:SS   Às vezes pode ser difícil trabalhar com datas; por isso, temos algumas ferramentas excelentes que podem ser utilizadas para colocar seus campos de data no formato do Alteryx.   Macro DataHora A ferramenta DataHora transforma dados de data/hora de e para uma variedade de formatos, incluindo formatos que podem ser usados em expressões e que sejam legíveis por humanos. @AlexKo Macro Analisar datas Com o peso de 55 ferramentas do Alteryx, essa macro está chegando entre as 5 mais baixadas do Alteryx Gallery. Esta macro irá evitar muitas dores de cabeça durante a análise de datas e tornar o trabalho com datas divertido! Tipos de dados booleanos Booleano significa simplesmente verdadeiro ou falso e é útil para sinalizar dados. Sinalizador condicional, em que 1 = verdadeiro e 0 = falso   Tipos de dados de objetos geográficos Objetos geográficos são objetos espaciais como centroides e polígonos utilizados para mapeamento. O Alteryx pode importar objetos geográficos de tipos de arquivos de dados como osESRI Shapefiles. Contudo, se você tiver uma latitude e uma longitude no Excel, é possível utilizar nossa ferramenta Criar pontos para criar objetos geográficos no Alteryx. Se desejar obter mais informações sobre tipos de dados, consulte nossa Ajuda do Alteryx  
Ver artigo completo