comunidade
cancelar
Mostrando resultados para 
Pesquisar então 
Você quer dizer: 

Base de conhecimento - Português

Este artigo faz parte da Série Domínio de Ferramentas, uma compilação de contribuições da Base de conhecimento para apresentar diversos exemplos de trabalho para as ferramentas do Designer. Aqui, exploraremos usos para a ferramenta Junções múltiplas, como parte de nosso percurso para dominar o Alteryx Designer:   A ferramenta Junções múltiplas é uma combinação das ferramentas Junção e União . É melhor utilizada para consolidar um fluxo de trabalho em uma ferramenta, em vez de ter que empregar várias ferramentas de Junção e União:     A ferramenta Junções múltiplas pode gerar todas as junções (esquerda, interna e direita):     Ou gerar apenas uma Junção interna quando "Somente gerar registros que são unidos a partir de todas as entradas" estiver marcado:     Essa funcionalidade, que combina Junção e União, pode ser revelada por meio de dois casos de teste: Junções múltiplas com critérios de junção idênticos Junções múltiplas com critérios de junção diferentes   A junção de múltiplas entradas com critérios de junção idênticos é mais fácil porque a saída é exatamente o que se espera (uma junção interna). Como não haverá saídas de junção para a esquerda ou para a direita, a ferramenta Junções múltiplas só deve ser utilizada para fazer a junção de mais de 2 entradas de uma vez. Caso contrário, uma ferramenta Junção comum funcionaria da mesma forma.   A junção de múltiplas entradas com critérios de junção diferentes utiliza realmente a função de união. No caso de haver uma saída de junção para a esquerda ou para a direita, isso aparecerá na saída como Null para as entradas sem correspondência.   Entrada 1:    Entrada 2:   Entrada 3:   Saída:   Essa função é especialmente útil ao preparar relatórios porque para as ferramentas de Geração de relatórios é irrelevante a existência de colunas nulas em uma linha. Por exemplo, a junção de uma Tabela e um de Texto do relatório cria uma saída sem correspondência:       Mas a ferramenta Layout ainda cria um relatório adequado:     A esta altura, você já aprendeu a ponto de ter a proficiência de um especialista na ferramenta Junções múltiplas! Se puder pensar em um caso de uso que deixamos de fora, não hesite em usar a seção de comentários abaixo! Você já se considera um mestre das ferramentas? Entre em contato conosco pelo e-mail community@alteryx.com caso queira que seus usos criativos para ferramentas sejam exibidos na Série Domínio de Ferramentas.   Fique atento às nossas publicações mais recentes de Tool Tuesday toda terça-feira seguindo a Alteryx no Twitter! Se quiser dominar todas as ferramentas do Designer, inscreva-se para receber notificações por e-mail.
Ver artigo completo
Pergunta  Como posso saber se preciso utilizar uma ferramenta Junção ou uma ferramenta União?   Resposta Essa é uma pergunta bastante comum. Você tem dois conjuntos de dados e precisa combiná-los em um conjunto maior de dados, mas como fazer isso? O Alteryx tem duas ferramentas que facilitam muito isso, dependendo do que você está tentando realizar; a ferramenta Junção e a ferramenta União.   Então, qual é a diferença?   A ferramenta Junção torna seu arquivo mais largo, o que significa que ela adiciona campos aos seus dados ou combina suas entradas horizontalmente. Essa ferramenta deve ser utilizada quando se quer adicionar informações a registros existentes. Por exemplo, talvez você tenha uma lista de clientes com o ID das lojas em que eles compram e uma outra lista separada com as localizações das lojas. Se desejar adicionar as informações das lojas às informações dos clientes, é necessário fazer uma Junção baseada no campo de ID das lojas. Isso fará a correspondência, registro por registro, entre as lojas e seus clientes, para que seu arquivo de clientes contenha então as informações das lojas. Observe que, dependendo de como seus conjuntos de dados estão configurados, isso pode resultar em registros duplicados. Portanto, esteja preparado para verificar seus dados.   A ferramenta União torna seu arquivo mais longo, o que significa que ela adiciona registros aos seus dados ou combina suas entradas verticalmente. Essa ferramenta deve ser utilizada quando se quer empilhar dois arquivos, um em cima do outro. Por exemplo, talvez você tenha uma lista de clientes para cada região da sua organização comercial e queira um único arquivo mestre de clientes. Todos os seus arquivos de região têm exatamente os mesmos campos. A ferramenta União alinhará seus conjuntos de dados com base nos nomes dos campos (seja automaticamente ou manualmente caso haja pequenas variações) e gerará um arquivo mestre com todos os mesmos campos.   Dê uma olhada no exemplo em anexo (criado no Alteryx Designer 11.3), que demonstra a diferença!
Ver artigo completo
Embora a ferramenta Junção seja uma das ferramentas mais usadas no Alteryx, ela também é uma das mais mal compreendidas. Isso é ainda mais verdadeiro se um usuário novo nunca tiver usado junções em qualquer outra plataforma de manipulação de dados ou se estiver unindo grandes tabelas e não estiver monitorando os registros dentro dos campos que estão sendo unidos.   Assim, vou passar por três diferentes casos que você pode encontrar de junção de duas tabelas por um campo em comum e o que esperar em seus resultados. O fluxo de trabalho que vou analisar (anexado neste artigo) é um fluxo de trabalho que criei na versão 10.5 e contém os mesmos elementos visuais ilustrados abaixo.   Caso nº 1: junção por campos em que ambos possuem registros exclusivos   Esse é o caso mais simples e mais fácil de entender. Nesse caso, estamos fazendo a junção pelos campos chamados “Fruit” nas duas entradas. A junção alinhará os registros das tabelas se os registros nos campos “Fruit” corresponderem.   Portanto, a tabela "unida" esperada (saída J) deve ficar assim:   Bastante simples   Caso nº 2: junção por campos em que apenas um possui registros exclusivos   Para esse caso, temos dois registros para "Banana" em nossa entrada à esquerda. Isso significa que o registro com “Banana” na entrada à direita fará correspondência duas vezes e será anexado aos dois registros da entrada à esquerda. Nossa saída deve ficar assim:     Caso nº 3: junção em campos em que ambos possuem registros não exclusivos Esse caso pode ser o mais difícil de entender, mas esperamos que após analisá-lo visualmente e matematicamente, você entenderá porque isso faz sentido e o que você pode fazer para evitar registros indesejados.   Nesse caso, temos dois registros em “Fruit” e ambos contêm “Banana” nas duas tabelas. Aqui acontece o mesmo que no caso acima, exceto que agora acontece duas vezes porque temos dois registros da entrada à direita que fazem correspondência com dois registros da entrada à esquerda. Então, nossa saída terá um total de 4 registros contendo a palavra "Banana".  A saída deve ficar assim:     Analisando matematicamente o Caso nº 3 e o Caso nº 2, você pode entender quantos registros obterá para cada instância de registro multiplicando a quantidade de registros que aparecem nas duas tabelas. No exemplo acima, já que estamos fazendo a junção em “Fruit” e vemos o registro Banana duas vezes nas duas tabelas, você pode pensar em 2 bananas x 2 bananas = 4 bananas.   Se adicionarmos outra linha na nossa entrada à direita, da seguinte forma:   Temos agora 3 x 2, então devemos esperar 6 combinações de registros com “Banana” no campo “Fruit”         Se você fez a junção de duas tabelas e obteve mais registros do que esperava, essa é causa mais provável do problema. Se alguém não entender os casos apresentados acima, isso poderia constranger qualquer banana (trocadilho intencional). Como práticas recomendadas, eu seguiria estes dois passos antes de unir quaisquer tabelas:   1 º : verifique se há registros duplicados nas suas tabelas. Para o caso acima, como temos três duplicatas na nossa entrada à direita, podemos utilizar a ferramenta Exclusivo e nos livrar delas. A saída será exatamente a mesma do Caso nº 2, já que existirá apenas um registro de “Banana” após a ferramenta Exclusivo.   2 º : verifique se fazer a junção por múltiplos campos é a opção mais apropriada. Exemplo: temos a Tabela 1 com dois registros contendo "Banana" em "Fruit" e dois registros contendo "X" em "Store ID", além do "FruitID" que é um identificador para cada fruta em "Fruit".  A Tabela 2 tem os mesmos campos “Fruit” e “Store ID”, mas agora temos um campo “Store employees” associado ao “Store ID”.                                                                     Tabela 1 Tabela 2   Queremos todos esses dados juntos para que tudo fique bem associado.  De forma ideal, deveríamos ter somente quatro registros saindo da nossa junção ao colocar os campos de funcionários da loja (Store employees) e ID da fruta (FruitID) em uma tabela. No entanto, se fizéssemos a junção usando apenas um campo em comum, seja ele "Store ID" ou "Fruit", obteríamos combinações e os dados não seriam alinhados corretamente. Veja abaixo.   Junção em “Fruit”   Nesse caso, obtemos dois registros em que nossos IDs de loja (StoreID) não correspondem.   Junção em “StoreID”   Nesse caso, obtemos dois registros em que nossas frutas (Fruit) não correspondem. Para corrigir isso, configuraremos nossa junção para fazer correspondência em ambos os campos Fruit e StoreID.     Após executar, a tabela "unida" deve ficar assim:   Ao fazer a junção usando múltiplos campos, garantimos que os registros de ambos os campos façam correspondência antes da junção. Uma maneira fácil de entender isso é imaginar que "Fruit" e "StoreID" estão sendo combinados. Agora, de repente, temos registros únicos porque temos Banana X e Banana Y como duas entidades exclusivas e nossa junção se torna uma junção de 1 registro x 1 registro.      
Ver artigo completo
Pergunta Como posso criar uma junção cartesiana dos meus dados? Resposta Uma junção cartesiana, também conhecida como um produto cartesiano, é uma junção de cada linha de uma tabela a cada linha de outra tabela. Por exemplo, se a tabela A tiver 100 linhas e a tabela B tiver 1.000 linhas, a junção cartesiana dessas duas tabelas resultará em 100.000 linhas. Esse tipo de junção pode ser útil quando você precisar produzir um conjunto de dados contendo todas as combinações de duas ou mais tabelas. É possível continuar adicionando à junção acrescentando outras ferramentas Agrupar campos. Basta conectar a saída da primeira ferramenta Agrupar campos à âncora de destino (T, target) de uma segunda ferramenta Agrupar campos e conectar a terceira tabela à âncora de fonte (S, source) da segunda ferramenta Agrupar campos. Siga essa configuração para quantas tabelas forem necessárias.   No exemplo abaixo, um revendedor de automóveis precisava de uma lista de todas as combinações de modelos, cores externas, cores internas e pacotes de opcionais. A junção cartesiana das quatro tabelas ficaria assim:       As tabelas contêm os seguintes dados:                   Veja uma amostra dos resultados do fluxo de trabalho ilustrado acima:     Importante Por padrão, a ferramenta Agrupar campos é configurada para gerar um erro quando há mais de 16 agrupamentos, a fim de proteger o usuário da produção inadvertida de uma quantidade muito grande de registros. Se seus dados tiverem mais agrupamentos do que isso, é possível alterar essa configuração, como mostrado abaixo, para permitir todos os agrupamentos:     Esse fluxo de trabalho, criado na versão 10.6, está anexado.    Obrigado!
Ver artigo completo
O VLOOKUP é uma das funções mais utilizadas do Excel.  O VLOOKUP pega um valor de pesquisa e encontra esse valor na primeira coluna de um intervalo de pesquisa.  A sintaxe da função é completada especificando o número de coluna para retornar do intervalo.  Em outras palavras, o VLOOKUP é uma junção.  Uma coluna de dados é unida a um intervalo especificado para retornar um conjunto de valores desse intervalo.     Esta postagem tem dois objetivos: 1. Demonstrar como um VLOOKUP pode ser feito utilizando o Alteryx. 2. Demonstrar como fazer um VLOOKUP pode ser ainda mais fácil no Alteryx.    Para fins de argumentação, vamos supor que temos duas planilhas em um arquivo do Excel.  A planilha 1 contém uma lista mestra de dados de vendas.  Os dados são estes:       A planilha 2 contém uma lista selecionada de vendedores com nomes e sobrenomes:     Usando uma função VLOOKUP, queremos pegar a lista de vendedores, fazer a correspondência com os vendedores encontrados na planilha 1 e retornar os dados de vendas para cada vendedor.  Observe que nossa lista de vendedores da planilha 2 tem duas vendedoras chamadas "Angelina".  A planilha 1 tem várias pessoas chamadas "Angelina" e "Michael".  Usar somente o nome não retornará resultados confiáveis com o VLOOKUP.  Além disso, fazer a correspondência no sobrenome - ou até mesmo em uma concatenação de nome e sobrenome - tampouco é sempre confiável.  Existem muitos "Michael Thomas" no mundo e podem existir vários em seu intervalo de dados.  A melhor maneira de completar o nosso VLOOKUP é usar um identificador único para cada vendedor.  Mas, novamente, apenas para fins de argumentação, vamos supor que cada combinação de nome e sobrenome produza um nome/identificador único.    A primeira coisa que precisamos fazer é concatenar nome e sobrenome em um novo campo.     Faremos o mesmo com nossos dados na planilha 2.  Para que VLOOKUPs funcionem corretamente, os dados devem ser ordenados.  No nosso caso, ordenaremos a planilha 1 e a planilha 2 em ordem crescente de "Nome concatenado":     Agora estamos prontos para utilizar nossa função =VLOOKUP:     Funcionou! Vejamos como fazer a mesma coisa no Alteryx.  (Dica: existe mais de uma maneira de fazer isso).   Começaremos importando nossos dados das planilhas 1 e 2:       Assim como no exemplo do Excel, concatenaremos nome e sobrenome em um novo campo.  Para efeitos de clareza, vamos chamar o nome concatenado da planilha 1 de "Nome completo" e da planilha 2 de "Novo nome".  Faremos isso utilizando uma expressão da ferramenta Fórmula:         Por fim, vamos anexar uma ferramenta Encontrar e substituir, onde a planilha 2 é anexada à entrada "F" e a planilha 1 é anexada à "R".       A configuração para a ferramenta Encontrar e substituir fica assim:     Observe que "Sales" (vendas) é selecionado em "Agrupar campo(s) ao registro".  Ao executar o fluxo de trabalho, obtemos os dados de vendas por cada vendedor, exatamente como fizemos no Excel:      Mas existe uma maneira ainda mais simples de fazer um VLOOKUP no Alteryx! Basta unir as duas planilhas com uma ferramenta Junção.       Veja como a ferramenta Junção é configurada:     Unimos nossos dados por Nome e Sobrenome sem ter que concatenar os dois campos primeiro.  Além disso, selecionamos os dados de vendas que desejamos retornar na mesma ferramenta Junção.       O Alteryx tem uma vantagem sobre a função VLOOKUP do Excel.  Vamos supor que você deseja retornar Vendas e Oportunidades.  Com o Alteryx, isso pode ser feito com uma única Junção.  Com o Excel, precisaríamos fazer vários VLOOKUPs.
Ver artigo completo